Notícias / Eleições

10/10/18 às 22:00

Com campanha de R$ 11 mil, Nelson Barbudo desbanca milionários

Karine Miranda, Gazeta Digital

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Com campanha de R$ 11 mil, Nelson Barbudo desbanca milionários

Foto: Chico Ferreira, Grupo Gazeta

Com o limite de gasto na campanha eleitoral para deputado federal definido em R$ 2,5 milhões, a campanha vitoriosa do produtor rural Nelson Barbudo (PSL) surpreendeu pela modéstia dos gastos: pouco mais de R$ 11 mil. Ele venceu com 126.249 votos e foi o deputado federal mais votado de Mato Grosso.
 
De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Barbudo gastou R$ 11.6 mil sendo que a maioria dos gastos foi destinada à publicidade por adesivos, praguinhas e santinhos, além de combustível. Ele também declarou o uso de dois veículos emprestados. O valor que Barbudo gastou foi 200 vezes menor do que o declarado por Neri Geller (PP), o candidato eleito que mais gastou na campanha eleitoral.
 
Geller declarou ter contratado R$ 2,2 milhões em despesas de campanha, sendo que os maiores gastos foram com material impresso, atividades de militância e mobilização de rua, locação de veículos, produção de jingles, vinhetas e slogans, além de programas de rádio, televisão ou vídeo. Ele teve 73.072 votos sendo o 4º mais votado.
 
Na sequência de quem mais gastou na campanha está Emanuelzinho (PTB), filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). Ele declarou ter contratado R$ 1,7 milhão em despesas. Desse valor, mais de meio milhão foi com atividades de militância e mobilização de rua. Emanuelzinho terminou a eleição como o 3º mais votado, com 76.781 votos.
 
Ainda no rol dos gastos milionários está o do senador e agora deputado federal eleito José Medeiros (PODE), que declarou ter contratado R$ 1 milhão em despesas. Seus maiores gastos foram também com atividades de militância e mobilização de rua e despesas de serviços prestados por terceiros. Medeiros, que deixa o Senado para assumir uma cadeira na Câmara Federal, teve 82.528 votos e ficou em 2º lugar em número de votos.
 
Outro candidato eleito que também não economizou, mas não chegou a declarar gastos milionários, está o Dr Leonardo (SD), que declarou ter contratado R$ 723,1 mil em despesas. Ele terminou a eleição como o 6º mais votado, com 52.335 votos.

Já a professora Rosa Neide (PT) declarou ter contratado R$ 501,9 mil em despesas. Ela, que já foi secretária de Educação do Estado, obteve 51.015 votos e terminou na penúltima colocação dos mais votados.
 
Único deputado federal reeleito, Carlos Bezerra (MDB) não precisou gastar tanto na campanha eleitoral. Ele declarou ter contratado R$ 413.7 em despesas. Desse valor, R$ 180 mil foram para a produção de programas de rádio, televisão ou vídeo. Ele foi o 5º mais votado e obteve 59.155 votos.
 
Os gastos de Bezerra só não foram menores que seu correligionário Juarez Costa, ex-prefeito de Sinop que declarou ter contratado R$ 382,1 mil em despesas e foi votado por 49.912 eleitores.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

João Baptista Herkenhoff

Um ABC da Cidadania

Tivemos a alegria de produzir um “ABC da Cidadania”,  editado pela Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos de Vitória.   Este opúsculo (apenas um ABC) alcançou a quarta...

 
 
 
 
Sitevip Internet