Notícias / Internacional

25/06/17 às 08:27

Famílias separadas na fronteira entre EUA e México se unem por 3 minutos

Evento promove reencontro entre pessoas que foram deportadas. Encontro aconteceu no Rio Bravo, que divide os dois países.

France Presse

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Famílias separadas na fronteira entre EUA e México se unem por 3 minutos

Família se reencontra em fronteira dos Estados Unidos com o México

Foto: Herika Martinez/AFP

Depois de 11 anos sem se ver, separada pela fronteira entre os Estados Unidos e o México, a família Pastrana pôde se abraçar pela primeira vez neste sábado (24), em um evento especial que permitiu a quase 200 famílias divididas pelo muro se reunirem por três minutos.
 
O aguardado encontro ocorreu em pleno Rio Bravo, que divide a mexicana Ciudad Juárez (Chihuahua) e a americana El Paso (Texas), diante do olhar atento da Patrulha de Fronteira.
 
"Foram 11 anos muito longos, não pudemos nos ver, nem nos tocar neste tempo, é um momento inesquecível e aproveitamos para demonstrar o quanto a gente as ama", disse à AFP Claudia Pastrana, uma mulher de 42 anos, originária de Ciudad Juárez, após abraçar a irmã e a sobrinha que emigraram para o Texas em busca de vida melhor.
 
Mayra, irmã de Claudia, também disse que o evento, organizado pela ONG Rede Fronteiriça dos Direitos Humanos, "foi algo inesquecível".
 
Família se reencontra em fronteira do México com os Estados Unidos (Foto: Herika Martinez/AFP)
Família se reencontra em fronteira do México com os Estados Unidos (Foto: Herika Martinez/AFP)
 
Enquanto isso, a Patrulha de Fronteira vigiava cada movimento a cem metros de distância para que "ninguém vá passar algo na hora dos abraços", disse Ramiro Cordero, porta-voz da Patrulha de Fronteira do setor de El Paso.
 
Assim como as irmãs Pastrana, mais de 2,5 mil pessoas que compõem outras 195 famílias separadas pela emigração ou por deportações participaram do evento chamado "Hugs Not Walls" (Abraços, não muros) para se abraçarem durante os três minutos tolerados pelas autoridades.
 
Esta é a quarta vez em que o evento é realizado, mas a segunda após a eleição de Donald Trump à Presidência. Em reiteradas ocasiões, Trump tem demonstrado publicamente seu repúdio à imigração de mexicanos.
 
"É uma forma de fazer protesto e erguer a voz contra as políticas agressivas do atual presidente (americano), e que separou milhões de famílias", disse Fernando García, diretor da Rede Fronteiriça.
Após o curto, mas efusivo encontro das Pastranha, Claudia, que foi ao encontro acompanhada do filho e do sobrinho, precisou voltar ao lado mexicano. Dali, agitava os braços em uma longa despedida da irmã, a quem perdia de vista pouco a pouco.
 
Evento promoveu reencontro entre familiares na divisa dos Estados Unidos com o México (Foto: Herika Martinez/AFP)
Evento promoveu reencontro entre familiares na divisa dos Estados Unidos com o México (Foto: Herika Martinez/AFP)
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

João Spenthof

Cooperativismo de crédito: trabalhar para transformar

Cooperar é uma palavra que tem várias definições. Uma delas é operar em conjunto, é – o que podemos dizer – ser coautor(a) de uma mesma obra. Esses “coautores” são chamados de...

 
 
 
 
Sitevip Internet