Imprimir

Imprimir Notícia

11/02/24 às 20:34 | Atualizada: 11/02/24 às 22:50

Produtor de queijos finos ensina técnicas para pequenos agricultores de Livramento

Foi na pandemia que o médico Silas Vicente teve a oportunidade e a ideia de se especializar na produção de queijos finos. Isolado na fazenda com a esposa e os filhos, os produtos ganharam forma e qualidade que renderam prêmios em grandes concursos. Agora, ele compartilha o conhecimento com as famílias que vivem da agricultura familiar em Nossa Senhora do Livramento (42 km ao sul de Cuiabá). 
 
Segundo Silas, antes de se aventurar na produção, ele trabalhava fornecendo leite para uma empresa, que acabou fechando. Com grande quantidade de leite que conseguia tirar, pensou em como aproveitar um dos alimentos mais presentes na mesa dos brasileiros. Foi aí que surgiu a ideia de produzir queijos. 
 
Foto: Luiz Leite
Queijo de Livramento"Comecei fazendo o frescal, mas perdia os produtos muito rápido. Depois, parti para o maturado. Fui estudando, testando, fiz um parmesão razoável. Acabou a pandemia e eu percebi que gostei de fazer os queijos, a partir daí, fui me especializando. Me matriculei em uma turma de curso online em uma faculdade da França. Fiz uma especialização online da parte teórica e depois fui para lá fazer a parte prática". 
 
A participação nos concursos começou após receber elogios dos produtos, especialmente do queijo brie. Em um deles, ganhou medalha de bronze e, em outro, um ano depois, ficou em primeiro lugar nas categorias brie e gorgonzola. 
 
Reprodução
SILASCom base na caminhada de sucesso na produção de queijo, o médico e produtor decidiu que era hora de repassar os conhecimentos e ampliar a possibilidade de trabalho e renda na região, especialmente para as famílias de pequenos agricultores de Livramento. 
 
Foi em sua fazenda que ele abriu a primeira turma para a produção de queijos. Ao todo, 16 pessoas começaram, de forma gratuita, a qualificação.

 
Foto: Luiz Leite
Queijo de Livramento"Esses produtores não têm condições de pagar um curso desse, então eu tô fazendo de tudo para não cobrar de ninguém. Eu faço por hobbie, porque dia de semana eu trabalho no consultório, então assim somos 16 pessoas, a cada 15 dias, eles vêm, fazem a aula, e depois tem duas semanas para fazer o queijo e trazer para provarmos", pontuou.
 
Uma delas é Ana Maria de 58 anos, aposentada e que vem de uma família tradicional de queijeiros. Ela viu no curso a oportunidade de se especializar e ajudar, inovar e melhorar a produção dos queijos.
 
Foto: Luiz Leite
Queijo de Livramento"Eu aposentei e decidi voltar para o mercado de trabalho, ajudando minha família na produção dos queijos. Então, eu vi nesse curso a oportunidade de aperfeiçoar, fazendo os queijos finos que é o que estou me identificando mais. Além de ganhar uma renda extra para ajudar nos custos do sítio", explicou. 
 
A ideia agora é que as famílias vendam os produtos em uma feira mensal realizada em Livramento. Em entrevista ao Gazeta Digital, o secretário de cultura, José Eugenio Maciel, explicou que essa feira tem aberto oportunidades aos pequenos produtores, movimentado a economia e consequentemente dando visibilidade ao município. A primeira edição de 2024 deve acontecer em março. 
 
"Nós estamos em um momento muito bacana aqui, essa feira é uma vitrine para os pequenos produtores comercializaram esses produtos, além disso, estamos fazendo parcerias para poder proporcionar a eles a oportunidade se especializarem e mostrar que esse pequeno produtor pode viver com a venda do que ele pode produzir, estamos abrindo o mercado e consequentemente mais dinheiro correndo na cidade e mostrar que um trabalho bem feito pode dar um resultado positivo a essas comunidades", explicou.   



 
Imprimir