Imprimir

Imprimir Notícia

04/06/23 às 11:16 | Atualizada: 04/06/23 às 12:16

Número de mortos em acidente de trem na Índia pode chegar a 380, avaliam autoridades

O número de pessoas mortas em um acidente que envolveu três trens na Índia pode chegar a 380, avalia o diretor-geral dos Serviços de Incêndio de Odisha, Sudhanshu Sarangi. Até a manhã deste sábado (3), autoridades já haviam contabilizado 288 óbitos. Mais de 850 feridos foram levados a hospitais.

Essa foi a pior catástrofe ferroviária em mais de 20 anos na Índia, embora acidentes com trens sejam comuns no país. Neste sábado, o primeiro-ministro do país, Narendra Modi, visitou o distrito de Balasore, em Odisha, onde aconteceu a tragédia, acompanhado dos ministros das Ferrovias, Ashwini Vaishnaw, e da União, Dharmendra Pradhan.

 
O acidente aconteceu nesta sexta-feira (2). Imagens do local mostraram compartimentos de trem destruídos e abertos com buracos manchados de sangue. Alguns vagões viraram completamente na colisão.

A Índia tem uma das maiores redes ferroviárias do planeta. O país já registrou várias tragédias do tipo no passado, mas a catástrofe de sexta-feira é considerada a mais letal desde a década de 1990.

O secretário-chefe do estado de Odisha, Pradeep Jena, confirmou ainda que "mais de 850 feridos foram levados a hospitais" depois do acidente, que aconteceu a quase 200 km da capital do estado, Bhubaneswar.

O desastre foi provocado pelo descarrilamento de um trem expresso que seguia de Bengalore para Calcutá (nordeste do país), que invadiu a via adjacente na direção sul.

Minutos depois, o Coromandel Express, que seguia de Calcutá para Chennai, caiu nos escombros. Alguns de seus vagões também colidiram com um trem de carga que estava estacionado nas imediações.

O jornal Times of India afirma que o Coromandel Express entrou no trilho errado, onde estava o trem de carga, momentos antes do acidente. 
 
Agora, a polícia quer saber se houve erro humano de sinalização, pois o Coromandel Express tinha sinal verde para seguir na linha principal em direção a Chennai.
 
"Quero esquecer"
 
Trabalhos de resgate continuaram quando o dia amanheceu
Trabalhos de resgate continuaram quando o dia amanheceu
REUTERS/Stringer

 
Um sobrevivente disse a repórteres locais que estava dormindo quando o acidente aconteceu e que acordou preso entre uma dezena de passageiros. Ele conseguiu sair do trem rastejando, com ferimentos no pescoço e no braço.

Uma emissora de TV exibiu imagens de um vagão tombado e de pessoas que tentavam resgatar as vítimas.

"As pessoas estavam gritando, pedindo ajuda", disse Arjun Das, outro sobrevivente.

"Havia feridos para todos os lados, dentro dos vagões, sobre a ferrovia. Quero esquecer as cenas", acrescentou.

Anubhav Das, um investigador de 27 anos, também disse à AFP o que observou após o acidente. "Vi cenas repletas de sangue, corpos mutilados e um homem com um braço amputado sendo ajudado de maneira desesperada por seu filho ferido", relatou.

"Perdi a conta dos cadáveres antes de deixar o local. Agora me sinto quase culpado", disse.

Diante do elevado número de afetados, os feridos estavam sendo transportados tanto em ambulâncias quanto em ônibus para qualquer hospital que tivesse espaço disponível.

 
Hospitais lotados
 
"Preparamos todos os grandes hospitais públicos e privados desde o local do acidente até a capital do estado para atender os feridos", destacou SK Panda, porta-voz das autoridades do estado de Odisha.

Ele acrescentou que "75 ambulâncias" foram enviadas ao local e que também foram disponibilizados "muitos ônibus" para transportar os passageiros feridos.

O primeiro-ministro Narendra Modi sobrevoou de helicóptero o local do acidente neste sábado e deve visitar os passageiros feridos nos hospitais de Balasore.

"Nesta hora de dor, meus pensamentos estão com as famílias que perderam entes queridos. Que os feridos se recuperem rapidamente", escreveu Modi no Twitter.

O ministro das Ferrovias assegurou que equipes de resgate, incluindo a Força Nacional de Resposta a Desastres e a Força Aérea, haviam sido mobilizadas.

Apesar desse acidente, a segurança ferroviária havia melhorado significativamente no país nos últimos anos devido a investimentos maciços e atualizações tecnológicas.

O acidente ferroviário mais mortal do país ocorreu em 6 de junho de 1981, no estado de Bihar (leste), quando sete vagões de um trem caíram de uma ponte em um rio, o que resultou entre 800 e 1.000 mortes.

Mais recentemente, em 20 de novembro de 2016, um trem com 2.000 passageiros descarrilou no estado de Uttar Pradesh (norte) enquanto a maioria dormia e causou 146 mortes e ferimentos em 180 pessoas.

Neste século, a Índia sofreu 13 acidentes ferroviários com mais de 50 vítimas, três deles resultantes de atentados.

Veja imagens do acidente entre trens na Índia

 
Imprimir