Notícias / Saúde e Ciência

25/10/21 às 15:38

MPT é aliado no combate ao câncer de mama na região sul de Mato Grosso

Segundo a Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor), entidade beneficiada pelas destinações feitas pelo MPT, 30.726 mil exames de mamografia foram realizados de 2016 a 2021

Assessoria MPT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
MPT é aliado no combate ao câncer de mama na região sul de Mato Grosso

Foto: Assessoria

O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Rondonópolis tem sido importante aliado no combate ao câncer de mama na região sul de Mato Grosso. Nos últimos anos, mais de 500 mil reais foram destinados para ajudar a Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor) a realizar a reforma da Casa de Apoio Antônia Maria Leonel e da Ala da Santa Casa de Rondonópolis, bem como adquirir equipamentos como mamógrafo e aparelho de ultrassom para o Centro de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama.
 
Somente em 2021, com o apoio da Justiça do Trabalho, foram destinados mais de R$ 17 mil para aquisição de filmes utilizados em exames de mamografia, realizados em mulheres encaminhadas pela Central de Regulação do SUS ao Centro de Prevenção e Diagnóstico Precoce da Apor. Em 2020, uma destinação de quase R$ 90 mil possibilitou a compra de um veículo para transporte de pacientes em tratamento contra o câncer e de familiares.
 
Dados da associação mostram que, só este ano, de janeiro até 18 de outubro, foram realizadas 3.053 mamografias. Destas, 1.124 foram viabilizadas graças às caixas de filmes adquiridas com recursos do MPT e da Justiça do Trabalho. Também foram realizados pela entidade, nesse mesmo período, mais de 500 ultrassons de mama. No total, no ano de 2021, a Apor forneceu 5,5 mil atendimentos, incluindo biópsias, exames laboratoriais, acompanhamento profissional e aporte financeiro para cirurgias oncológicas.
 
A Apor é uma entidade que presta atendimento completo à população de 19 municípios da região Sul. De janeiro a setembro, 52 novos casos de câncer de mama foram diagnosticados. Atualmente, 152 mulheres com câncer estão recebendo acompanhamento de fisioterapeutas, nutricionistas e psicológicas, além de cestas básicas, suplemento e hospedagem na Casa de Apoio (quando moradoras de outras cidades). Os atendimentos de pacientes de outras cidades são feitos por intermédio do Consórcio Regional de Saúde Sul de Mato Grosso (CoressMT).
 
“Em fevereiro de 2019 eu comecei com o toque e comecei a observar um nódulo estranho. Isso me incomodava, era bem na parte superior do peito”, conta Silvia Regina da Silva, de 57 anos, atendida pela Apor. “Eu fiquei um período grande sem plano de saúde e foi pela Apor que eu fazia a mamografia e o ultrassom”, lembra. Nancy Bailo, de 52 anos, foi diagnosticada com câncer em 2015 e novamente em 2021. Ela explica que a orientação dada pela entidade foi fundamental para lidar com os momentos de incerteza e dificuldade. “A Apor dá o suporte desde que começamos a fazer a consulta até o tratamento final. Além de dar o suporte, eles nos orientam sobre o que fazer, a quem procurar, e sem isso é muito difícil”.
 
Eusa Alves dos Santos também descobriu o câncer pelo autoexame. “Comecei a me apalpar e vi que tinha uma manchinha”, relata, acrescentando que o tratamento logo foi iniciado por intermédio da Apor. “Comecei a quimioterapia de imediato. Pedi a Deus para me dar sabedoria para administrar tudo isso porque não é fácil, os efeitos colaterais são muito fortes. Sem o apoio [da Apor], não saberia o que fazer, pois a gente fica perdida”.
 
A Apor também realiza campanhas em empresas e postos de saúde para conscientização a respeito do câncer de mama. Foi em uma das visitas para divulgar o trabalho da entidade e orientar as mulheres sobre a importância dos exames preventivos, a chamada busca ativa, que Joana Darque Silva Barros, de 37 anos, teve a oportunidade de dividir a sua preocupação com um nódulo detectado em seu seio. “Conheci a Apor no meu trabalho e a partir de lá houve bastante agilidade da Apor, a ajuda foi muito grande. Fiz ultrassom, mamografia e foi muito rápido. Em menos de 30 dias já tinha o diagnóstico, que tinha câncer, que eu necessitava de uma cirurgia e em três meses já foi feita a cirurgia”.
 
Prevenção
 
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão auxiliar do Ministério da Saúde, o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete as brasileiras e o que mais mata as mulheres em nosso país. Todavia, com a detecção precoce, aumentam significativamente as chances de cura e por isso os procedimentos preventivos são essenciais e devem ser acessíveis.
 
O “Outubro Rosa” faz essa discussão e desperta a atenção para o cuidado com o corpo, uma vez que a descoberta da doença nas fases iniciais permite tratamentos menos agressivos e com melhores resultados.
 
Sempre que identificarem alterações nas mamas, como caroços (nódulos), vermelhidão na pele da mama ou mudanças no bico do peito, as mulheres devem procurar atendimento médico. Silvia, Eusa, Nancy e Joana perceberam, pelo autoexame, que algo estava errado. Porém, apesar da importância do autoexame, de acordo a Apor, o ideal é que as mulheres, a partir dos 40 anos, façam os exames preventivos todos os anos.
 
“No Outubro Rosa tem a orientação sobre o autoexame, mas mais importante que isso é que elas, as mulheres, agendem os preventivos (mamografias e ultrassons). Porque grande parte dos nódulos do câncer de mama não são perceptíveis pelo autoexame. Quando a pessoa percebe, já está em estado avançado. Por isso, fazer os preventivos anualmente é tão importante. Ou seja, o autoexame não exclui a necessidade da mulher fazer os preventivos anuais”.
 
Destinações
 
Os valores das destinações são decorrentes da atuação judicial e extrajudicial do MPT em face de empresas que descumpriram a legislação trabalhista. A procuradora do MPT Louise Monteiro Gagini enfatiza que os projetos selecionados para receber os recursos são sempre de inegável interesse público, como é o caso da Apor, que busca garantir um tratamento de saúde mais digno e célere aos pacientes.
 
"Neste Outubro Rosa, é muito gratificante ver que a destinação realizada pelo MPT em Rondonópolis propiciou a garantia do direito à saúde e à vida de tantas mulheres na região sul do Estado que puderam fazer exames de mamografia e ultrassom sem longas esperas. Essa é a finalidade da atuação do MPT e da reversão de valores a projetos e entidades: além do cumprimento da legislação trabalhista, mudar a realidade social da população".
 
“Todo este trabalho realizado hoje é possível devido ao resultado das parcerias com a Apor, e o MPT, com a destinação dos recursos, colaborou com a implantação e implementação deste serviço”, reconhece a superintendente da Apor, Marleide Narciso.
 
Serviço
 
Para mais informações sobre a realização de mamografias e exames de ultrassom no Centro de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama da Apor, deve-se buscar o agendamento nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF).
 
Os telefones para contato são: (66) 3023-3200 e (66) 3023-3201.

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet