Notícias / Cultura

09/09/21 às 21:51

Cururueiro se inscreve no Mais MT Muxirum para poder escrever os segredos da viola

Aos 84 anos, Martinho afirma que continuar incentivando os mais novos o motiva a voltar a aprender

Natália Leão | Seduc-MT

AguaBoaNews/Cuiabá

Imprimir Enviar para um amigo
Cururueiro se inscreve no Mais MT Muxirum para poder escrever os segredos da viola

Martinho com a alfabetizadora Papy Nascimento

Foto: Assessoria

“Me interesso em escrever meus segredos”. Esse é o desejo que Martinho Leme de Moraes, mestre artesão de Viola de Cocho, relata ao se matricular, em Barra do Bugres, em uma das turmas do Mais MT Muxirum, programa do Governo do Estado, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT).

Natural de Acorizal e cururueiro desde menino, Martinho relata que foi pela devoção que aprendeu a arte de fabricar e tocar a viola com o pai e avô. “Eu sigo esse movimento da viola de cocho. Como tudo que sei veio do meu pai, primeiro a gente aprendia a fé e a adoração e como não tinha petróleo, nós tínhamos como sustento a fabricação de moinho e pilão para vender”.

Aos 84 anos, lendo poucas palavras e sabendo escrever seu nome, engana-se quem pensa que essa é a primeira vez que trata dos estudos como uma barreira a vencer. Pelo olhar curioso, foi em forma de troca de cartas com uma das professoras, ‘no tempo’ que seus sete filhos frequentavam a escola, que ele conheceu algumas palavras.

Com data marcada para voltar a escrever, Martinho se mostra radiante com a nova oportunidade de aprender. As aulas começam no dia 14 de setembro.

“Eu não tenho a leitura, mas não sou bobo. Sou curioso. Quando as crianças iam para escola elas sempre traziam a cartinha com uma letrinha ou outra para eu aprender. Meu desejo é colocar nas palavras que o segredo da viola não é bater”.

A matrícula de Martinho foi comemorada pela coordenadora Municipal de Educação e Cultura e alfabetizadora do programa Mais MT Muxirum, Papy Nascimento. Tendo como espaço o quintal da sua casa, ela conduzirá o aprendizado de duas turmas de 10 alunos.  

“A cultura pantaneira é algo que estamos sempre apresentando aos mais novos como algo importante de se conhecer. Ter ‘Seo’ Martinho na turma é forma de enxergarmos essa troca de conhecimento, uma chance de fazer isso acontecer. Como referência do Cururu mato-grossense, é de se admirar o que de fato o motiva a aprender”, conta a coordenadora.

“Não tem lugar que eu não canto, gosto de fazer parte dessa escritura. Poder continuar incentivando os mais novos na arte da viola é o que me motiva a escrever. Agradeço por ter essa oportunidade”, finaliza Martinho.

O programa

O Programa Mais MT Muxirum – palavra do tupi guarani que significa “mutirão”, “fazer juntos” – possui o desafio de erradicar o analfabetismo entre pessoas com mais de 15 anos, no Estado de Mato Grosso, nos próximos cinco anos.

Com investimentos de R$ 14,7 milhões ao ano, só no segundo semestre de 2021, a expectativa é atender mais de 48 mil pessoas em 60 municípios.

O Mais MT Muxirum contará com mais de 100 coordenadores e mais de 3 mil alfabetizadores.

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Luciano Vacari

Da enxada ao touch

Desde os anos 70 no Brasil, o agro brasileiro vem se desenvolvendo cada vez mais aliado com a ciência e a tecnologia, prova disso é a expansão da fronteira agrícola, a qual levou a soja ao cerrado, um bioma não...

 
 
 
 
Sitevip Internet