Notícias / Negócios

08/06/21 às 17:56 / Atualizada: 08/06/21 às 18:13

Pandemia - Quando o bar vai até a sua casa para evitar aglomeração

A Kombi do

Alecy Alves

Diário de Cuiabá

Imprimir Enviar para um amigo
Pandemia - Quando o bar vai até a sua casa para evitar aglomeração

Wilker Moraes da Costa em sua Kombi

Foto: Divulgação

Que o brasileiro é criativo e resiliente, ninguém duvida. Nessa pandemia, em tempos tão adversos, criar, adaptar, resistir e superar se tornaram conjugações mais que necessárias.

Especialmente para quem perdeu o emprego, como aconteceu com Wilker Moraes da Costa, de 44 anos.

Por 10 anos ele foi funcionário na empresa do pai.  Trabalhava na cantina de uma grande escola da rede privada em Cuiabá.

Com as aulas presenciais suspensas e a escola fechada, ele, o pai, a mãe e mais quatro funcionários ficaram desempregados.

Juntando o que recebeu da rescisão contratual, a ajuda do pai, do irmão, da irmã e até de um tio que mora em Rondônia, Wilker comprou uma Kombi.

O veículo foi transformado em uma choperia, um bar itinerante percorre ruas ou, com agendamento, vai até a casa do cliente.

Também está em pequenas feiras gastronômicas na periferia e, uma vez por semana, aos sábados à tarde, fixa ponto em um miniestádio de futebol no bairro CPA 4.

Quando retorna para casa ainda atende consumidores pelas ruas. O carro chama a atenção por onde passa.

Wilker não tem exclusividade com marca de chope, mas diz que dá preferência à Louvada, de quem também recebeu apoio para seu negócio.  

Ele conta que a ideia da choperia itinerante não é nova, mas pensado nesse negócio como uma renda extra Não a principal, como está sendo. "Resolvi pela necessidade e está dando certo", diz Wilker.   

Ele ainda não atingiu o salário que recebia quando trabalhava na empresa do pai, mas está perto, diz.

Wilker lembra que seu empreendimento pode parecer pequeno do ponto de vista empresarial, mas foi fundamental na composição da renda da família.

Casado com Raphaela Malheiros, com quem tem um filho, Raphael, de três anos, ele não queria que o salário da mulher fosse usado para cobrir todas as despesas da família.

 
"Sempre disse para minha esposa que o salário dela é para ela e nosso filho, as outras contas são minhas", recorda.

Fundamental, também, foi essa união e o apoio que recebeu da família, do pai e da mãe, Wilson e Alaíde; dos irmãos Maicon e kelrylainne, e do tio, Reinaldo Lavoyer.

Por onde passa, garante, segue o protocolo de prevenção à Covid, distanciamento, o uso de máscara facial e álcool gel. E ainda, não permite aglomeração servindo individualmente os consumidores.

Instagram: @choppderuaoficial – (65)99346-3795

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

José Sarney

A furna da Marruá

Bobbio dizia que a velhice era muito boa e cheia de encantos, o maior deles o gosto de matar saudades. Mas eu acho que o divertimento maior da velhice é o espaço de contar histórias, bom para encher e passar o tempo. As...

 
 
 
 
Sitevip Internet