Notícias / Personalidades

07/02/21 às 15:25 / Atualizada: 07/02/21 às 15:40

Médico pioneiro em Vila Rica muda de vida e vira artesão no RS

Depois de se aposentar, Juarez Sander, de 70 anos, voltou para sua terra natal e se dedica ao artesanato

Liz Brunetto

Mídia News

Imprimir Enviar para um amigo
Médico pioneiro em Vila Rica muda de vida e vira artesão no RS

O médico aposentado Juarez Sander, de 70 anos, que agora se dedica ao artesanato

Foto: Divulgação

O médico Juarez Sander, de 70 anos, natural do Rio Grande do Sul, veio para Mato Grosso no final da década de 70 e abriu uma pequena clínica na cidade de Vila Rica, na região do Araguaia. Lá ele conquistou suas maiores realizações na profissão. 
 
E foi em Mato Grosso também que ele iniciou um hobby que, mais tarde, se transformaria em sua nova profissão após pendurar o jaleco: o artesanato.
  
“Meu pai era marceneiro. Desde moleque eu sempre trabalhava na marcenaria dele. Aí eu montei uma tornearia de madeira como hobby”, conta.
  
O gaúcho foi atraído para Mato Grosso com a promessa de trabalho. Recém-formado em Porto Alegre e sem encontrar muitas oportunidades na cidade em que morava, trabalhou até 1979 no Paraná. Nesse período recebeu a proposta de uma colonizadora de Mato Grosso.
 
Foi aí que, na companhia da esposa Ângela Lopes Sander, de 67 anos, também médica, se aventurou na nova empreitada. O casal montou então uma pequena clínica, em Vila Rica, local de muitas conquistas, segundo o médico aposentado.
 
Em 1983, Juarez prestou concurso público para médico legista em Mato Grosso, desempenhando a função por um longo período. Já em 2008, foi a vez de tentar ingressar como perito do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), assim como sua esposa.
 
Ainda como peritos do INSS, Juarez e sua esposa pediram transferência para Osório (RS). “Há oito anos nós voltamos para o Rio Grande do Sul”, relembra.
 
Quando a segunda aposentadoria como médico chegou, Juarez se viu com tempo ocioso e decidiu investir em sua grande paixão, aquela que havia começado aqui em Mato Grosso.
 
“Aumentei a minha tornearia, peguei mais dois funcionários e a gente começou a trabalhar com marchetaria, madeira torneada e com marchetaria no estilo 3D - é um pedaço de madeira grande que você corta em pedacinhos e depois junta para fazer desenhos”, explica o artesão.
  
Os negócios prosperaram tanto que o médico artesão vai inaugurar uma nova loja em Osório (RS).
 
O empreendimento conta agora com mais de 200 metros quadrados de oficina, onde as peças são confeccionadas. A pequena loja de 60 metros quadrados dará espaço para novos 360 metros quadrados. “São quatro contêineres de 12 metros em forma de casinha, dois pisos”, diz, emocionado.
 
O médico aposentado sente orgulho da trajetória que percorreu. “Eu me considero uma pessoa realizada como poucos no Brasil, satisfeito com a vida”, ressalta
 
Se no Rio Grande do Sul Juarez está fazendo seu nome com a tornearia, em Mato Grosso deixou um admirável legado na Medicina.
  
Quando o jovem casal de médicos chegou a Vila Rica fundou um pequeno hospital, com aproximadamente 25 leitos.
  
O prédio inicialmente simples foi ganhando estrutura e se tornando referência no atendimento humanizado aos doentes na região do Araguaia.
 
Em alguns anos o hospital integrou a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), que incentiva o aleitamento materno.



Peças produzidas pelo médico artesão - foto: Reprodução
 
A unidade médica foi inscrita e ganhou duas vezes o prêmio Galba Araújo, que visa a humanização do atendimento médico hospitalar. Uma vitória se deu na região Centro Oeste e a outra no estado de Mato Grosso.
  
Muitas outras foram as contribuições da família Sander na história do norte do Estado. Ângela, por exemplo,  foi responsável pelo combate à malária na região. Foi também secretária de Saúde de Vila Rica no período de 1992 a 1996, fazendo uma gestão voltada à implantação de saúde familiar.
 
Ela foi também chefe regional do polo de saúde de Porto Alegre do Norte por sete anos.
 
Mesmo com a volta às raízes natais, o casal deixou um legado no estado de Mato Grosso. “O Rio Grande do Sul é meu estado natal, é a minha mãe biológica. E Mato Grosso é a minha mãe de coração”, conclui o artesão.
  
Confira as produções do artesão na página do Facebook “Atelier Casa de Tábua”.

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Luciano Vacari

Da enxada ao touch

Desde os anos 70 no Brasil, o agro brasileiro vem se desenvolvendo cada vez mais aliado com a ciência e a tecnologia, prova disso é a expansão da fronteira agrícola, a qual levou a soja ao cerrado, um bioma não...

 
 
 
 
Sitevip Internet