Notícias / Luto

31/01/19 às 08:55

Em post antigo, dono de pousada em Brumadinho alertou para 'cenário horrendo'

"Estão acabando com tudo em volta", escreveu Mascarenhas há um ano. Ele está desaparecido

www.correio24horas.com.br

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Em post antigo, dono de pousada em Brumadinho alertou para 'cenário horrendo'

Foto: Facebook/Reprodução

Dono da pousada Nova Estância, em Brumadinho, Mascarenhas está entre os desaparecidos desde o rompimento da barragem na cidade mineira - até agora são 65 mortos e há 288 pessoas que não foram localizadas. A pousada fica bem próxima ao local do acidente e a esposa de Márcio, Cleosane Coelho Mascarenhas, a Cleo, morreu na tragédia - o corpo foi sepultado hoje. O filho do casal também está desaparecido.

No ano passado, Márcio publicou um texto no Facebook em que faz um desabafo sobre as mudanças que a região estava sofrendo por conta da mineração. "Estão acabando com tudo em volta. Onde antes era uma mata atlântica cheia de nascentes, hoje está virando um deserto empoeirado e sem vida. O que é mais importante, o dinheiro ou, as pessoas que morrem de doenças pulmonares respirando esse pó poluído com minerais pesados e bebendo água misturada com esse mesmo veneno? Lençóis freáticos entupidos. Pulmões entupidos e o turismo ecológico que antes era fonte de riquezaspara a região, se transformando em deserto poeirento e desabitado. Cenário horrendo de um futuro que começou a décadas atrás. Será que ainda há esperança?", questionou o empresário.

 
Marcio Paulo Mascarenhas
há ± 12 meses
Estão acabando com tudo em volta. Onde antes era uma mata atlântica cheia de nascentes, hoje está virando um deserto empoeirado e sem vida. O que é mais importante, o dinheiro ou, as pessoas que morrem de doenças pulmonares respirando esse pó poluído com minerais pesados e bebendo água misturada com esse mesmo veneno? Lençóis freáticos entupidos. Pulmões entupidos e o turismo ecológico que antes era fonte de riquezaspara a região, se transformando em deserto poeirento e desabitado.
Cenário horrendo de um futuro que começou a décadas atrás.
Será que ainda há esperança ?!!!

A publicação foi lembrada por amigos de Márcio depois da tragédia. No post, Márcio conversou que seguidores sobre o assunto. "Tem muito tempo que começaram. Agora piorou. Intensificou com maquinário moderno e mais eficaz", falou, em resposta a um questionamento sobre a atividade no local. Uma sobrinha comenta no texto: "Nossa tio Marcinho, que apocalítico você está". Márcio responde: "Nada de apocalítico. Está é uma situação que está acontecendo e não vejo como parar".

Outra familiar escreve que "as pessoas só vão dar importância para a natureza, quando o mundo entrar em colapso!". Márcio concorda. "Isso mesmo. Como já tô véi, não pretendo assistir esse fim".

Uma amiga voltou ao post no sábado e deixou um comentário. "Mal sabia ele que essa ganância ceifaria sua vida! Lamentável, que tristeza meu Deus, até quando?".

Pousada

A pousada era uma das principais opções de hospedagem para quem ia conhecer Inhotim. Famosos ficavam no local - o cantor baiano Caetano Veloso fez um texto relembrando sua passagem por lá. “Lendo o livro [Maquinação do Mundo] de Zé Miguel [José Miguel Wisnik] sobre Drummond, pensei muitas vezes no fato de o que há de belo em Inhotim tardar a ser captado por minha sensibilidade, tal a sensação de desconforto humano, vegetal, animal e espiritual da região. A delicadeza das pessoas, o sabor das comidas, a graça da decoração (tudo tão mineiro) da pousada Nova Estância era igualmente contaminada pelo sentimento de desequilíbrio e feiura que a cercava. Já chorei algumas vezes hoje, incontrolavelmente, pensando nas pessoas que conheci lá”, comentou ele, em texto para o site Mídia Ninja, no qual é colunista, ao criticar o ambiente que cercava a paisagem bucólica. 

O cantor também citou o entorno "deprimente" da pousada. “Quando fui a Brumadinho em 2016 para cantar no Meca Festival, fiquei assustado com o que vi no caminho. O evento era em Inhotim, museu cujo prestígio conhecia de longe. O entorno, no entanto, era deprimente. Os veículos da mineradora com frequência soltavam fumaça preta e ultrapassavam o carro que nos transportava nas estradas não asfaltadas, lançando poeira ou lama. Tudo é muito feio ali. Talvez mineração seja uma atividade que atrai violência”, analisou o cantor.

Destruição

Não há mais nada no lugar da pousada, a não ser lama e restos de árvores destruídas. Por causa do lamaçal, só foi possível chegar a cerca de mil metros do ponto onde ficava a sede da Nova Estância. O cenário de destruição contrasta com imagens do local anteriores à tragédia, disponíveis na internet. São fotos da piscina, do lago, das suítes, do restaurante, de lojas. O site da fazenda informa que havia 15 quartos, com ar condicionado. Também oferecia aos hóspedes assistência para excursões e ingressos. Era comum que hóspedes a usassem como base para visitar o museu de Inhotim.

Nas imediações, a aparência é de cidade-fantasma. Mesmo casas que não foram atingidas pela lama estão vazias. Animais - cães, cavalos, galinhas - estão soltos. Funcionários da Cemig trabalhavam para restabelecer uma linha de transmissão de energia derrubada pela torrente de rejeitos.

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Causa e efeito

         Reclamamos dos sofrimentos que nos alcançam de vez em quando e que nos tira a alegria. Muitas vezes são doenças graves com internações hospitalares. Nos questionamos...

 
 
 
 
Sitevip Internet