Notícias / Cultura

19/03/18 às 19:52

Arroz e feijão: dupla perfeita ainda domina as panelas da Grande Cuiabá

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Arroz e feijão: dupla perfeita ainda domina as panelas da Grande Cuiabá

Foto: Assessoria

Rico em proteínas, carboidrato, vitaminas e minerais, o arroz com feijão continua sendo o prato preferido da população – especialmente o arroz polido e o feijão carioca. Uma pesquisa realizada em Cuiabá e Várzea Grande mostra que o consumo médio diário de arroz por pessoas é de 75 gramas – um total de 55 quilos por ano –, e o de feijão é de 31 gramas diários, totalizando 23 quilos ao ano, em refeições feitas em casa.

Realizada pela Embrapa, no fim do ano passado, a pesquisa teve os resultados apresentados neste mês ao Sindicato das Indústrias de Arroz de Mato Grosso (Sindarroz-MT). Segundo o responsável pelo estudo, o analista da Embrapa Carlos Magri, o objetivo foi identificar os hábitos dos consumidores, o que servirá de base para campanhas nacionais de incentivo ao consumo do arroz e do feijão. “Pretendemos mostrar os aspectos nutricionais e funcionais dessa dieta que faz bem para a saúde”, afirma Magri.

A pesquisa traçou um perfil dos consumidores, explorando aspectos como modo de preparo, importância da marca, preço, selo de qualidade. Segundo a pesquisa, mais de 90% dos entrevistados acham o arroz de fácil preparo, sendo que a maioria dos entrevistados (96,7%) evita o congelamento. Já o hábito de congelar o feijão é mais comum, adotado por 68,9% dos entrevistados.

“Em todas as classes sociais, o arroz com feijão ainda é a base da alimentação. O desafio é manter isso, com tantas tentativas recentes de desqualificar os valores nutricionais desse tradicional prato brasileiro”, acrescenta o analista. Mesmo com informações desencontradas envolvendo dietas com arroz e feijão, a maior parcela da população – cerca de 75% – se mantém fiel à combinação e acredita que o arroz com feijão não pode ser substituídos por outros alimentos nas principais refeições.

Do ponto de vista nutricional, a combinação é considerada equilibrada. E mais: consumir o arroz e feijão combinados traz mais benefícios à saúde do que cada um em separado. A proporção recomendada é de uma parte de feijão para duas de arroz, o que está bem próximo do consumo verificado na Grande Cuiabá.

Para o presidente do Sindarroz-MT, Lázaro Modesto, umas das preocupações do sindicato é com relação às informações desencontradas que circulam desestimulando o consumo de arroz e feijão. “Em busca da perda de peso, há quem acredite que é imprescindível cortar o arroz e o feijão. Isso é uma pena e um risco, pois esse prato faz bem à saúde, tem baixo custo e é de fácil preparo. O que interfere no ganho de peso é o modo de preparo, com excesso de gordura, e as quantidades. Mas substituir o bom e velho arroz com feijão por macarrão, congelados, lanches ou fast-food é uma das maiores perdas culturais que o brasileiro pode enfrentar, com consequências ruins até mesmo em termos de saúde pública”, defende.

Em Mato Grosso, ao longo dos últimos anos, o Sindarroz vem desenvolvendo um trabalho que resultou na melhoria do arroz produzido no estado. “Aproximadamente 90% do arroz consumido pela população de Mato Grosso é produzido e beneficiado dentro do próprio Estado. Agora, nossa meta é comercializar o excedente da produção, afirma, Modesto, acrescentando ainda que Mato Grosso é o único estado do país que tem uma marca coletiva para o arroz, o que é um reforço importante para a indústria mato-grossense na conquista de novos mercados.

Para quem não sabe: o arroz é rico em carboidratos e fonte de proteína, possui bom balanço de aminoácidos essenciais e apresenta alto teor de metionina. Além disso, o arroz não contém glúten, o que beneficia a alimentação de pessoas com a doença celíaca. Já o feijão possui conteúdo proteico relativamente alto, destacando-se o teor elevado de lisina, que exerce efeito complementar às proteínas do arroz e melhora o valor biológico da dieta. A fibra alimentar presente no feijão ajuda a reduzir o colesterol e o nível de açúcar no sangue e seu alto conteúdo de carboidratos complexos fornece energia e sensação de saciedade.

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Juacy da Silva

A ECONOMIA DE FRANCISCO E CLARA II

“Os direitos trabalhistas nasceram das lutas solidárias do povo. Estão fundamentados na DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA: O amor pelos pobres está no centro do Evangelho. Terra, teto e trabalho – isto pelo qual voces lutam...

 
 
 
 
Sitevip Internet