Artigos / Gabriel Guidotti

28/09/15 às 09:44

PMDB reforçado no Congresso

O PT é um partido histórico no Brasil. Liderou grandes lutas e amealhou milhões de militantes em favor das causas trabalhistas. Quando chegou ao poder em nível nacional, construiu sólidos programas sociais para os menos favorecidos, garantindo condições dignas a quem antes vivia em situação de extrema vulnerabilidade. Essa é a faceta positiva das gestões de Dilma e Lula. Sempre há outras visões a respeito, diametralmente opostas.
 
Internamente, existe uma certeza: os ‘companheiros’ vivem um período de turbulência. Neste ano, em entrevista ao jornal “O Estado de São Paulo”, Marta Suplicy deixou claro que estava decepcionada com os rumos do partido que ajudou a construir. Disparando palavras incendiárias, a senadora demonstrou sua inconformidade com as diretrizes do atual do governo, dando a entender que Dilma exerce certo grau de autoritarismo quando o assunto é delegar funções – e confiar nas pessoas que foram delegadas.
 
Insatisfeita, Marta fez algo corriqueiro entre os políticos: mudou de legenda. No último sábado (26), ela acertou sua filiação ao PMDB em evento festivo programado para a sua recepção. A senadora estava exultante e aproveitou a oportunidade para enaltecer o novo partido. Também se colocou à disposição do vice-presidente Michel Temer. "Conte comigo para reunificar os sonhos, o país. Vamos todos unir o país", disse.
 
Lembrando que a ex-petista ocupou o cargo de ministra da Cultura (2012 – 2014), pedindo sua demissão em novembro do ano passado. Para 2018, a senadora declarou, na mesma entrevista para o Estadão, que Aloizio Mercadante, atual ministro-chefe da Casa Civil, deve ser o candidato à presidência. Ela chamou-o de o “inimigo”, alguém que costura seus objetivos inescrupulosamente – inclusive para suplantar Lula na corrida pelo Planalto.
 
Daqui para frente, é provável que a senadora engrosse o caldo de opositores ao Governo Federal no Congresso. A fragmentação do PT acelera a cada acontecimento desse nível, passando também por críticas de correligionários e, quem diria, pelo pedido de impeachment protocolado por Hélio Bicudo, um dos fundadores da legenda. Ademais, a crise política está longe do fim. Dilma terá de demonstrar sangue-frio para, primeiramente, resolver os impasses internos e, após, salvar seu mandato do colapso. Aguardemos os próximos episódios.
Gabriel Guidotti

Gabriel Guidotti

Gabriel Bocorny Guidotti é bacharel em direito, jornalista e escritor.
Porto Alegre – RS
ver artigos

comentar1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Luis Gonzaga Domingues, em 24/04/16 às 07:16

    A Imprensa brasileira sempre foi canalha uma das grandes culpadas das condições do país, mais do que as forças que dominam politicamente , é nossa imprensa.Nossa imprensa é lamentavelmente ruim. E não quero falar da televisão que já nasceu covarde. Millôr Fernandes.

 
 

veja maisArtigos

Caiubi Kuhn

Os fósseis vão às escolas

            Para muitas pessoas, é uma grande surpresa saber que em Mato Grosso já viveram na era mesozoica grandes dinossauros como Pycnonemosaurus nevesi e os Sauropodes, ou que na era...

 
 
 
 
Sitevip Internet