Notícias / Água Boa

16/05/17 às 08:11 / Atualizada: 16/05/17 às 11:44

Água Boa - Polícia Civil prende professor acusado de vender diplomas

Assessoria Polícia Civil

Edição para ÁguaBoaNews, Clodoeste Kassu

Imprimir Enviar para um amigo
Água Boa - Polícia Civil prende professor acusado de vender diplomas

Foto: AguaBoaNews

Um professor do ensino médio da rede pública de educação de Água Boa foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (12.05), acusado de comercializar diplomas em Água Boa, Nova Xavantina e Campinápolis, ao valor médio de R$ 500 a 800.

Professor há 15 anos, Dirceu Luiz Pich, 48 anos, foi autuado em flagrante por falsidade ideológica e falsificação de documento público. Ele dava aula de física e há 7 anos foi efetivado por meio de concurso público.

Conforme a delegada, Luciana Canaverde, desde o ano passado, a Polícia Civil investigava denúncias da venda ilegal de certificados do ensino médio e superior, até que identificou duas pessoas que iniciaram negociação da compra dos diplomas, mas desistiram. “Elas alegaram que somente iriam pagar e receberiam o certificado sem assistir aulas e ou fazer provas”, disse a delegada.

A partir daí, a Polícia Civil chegou a uma pessoa que comprou um certificado sem fazer aulas e provas. A Polícia Civil também apurou que o professou chegou anunciar em sua página no facebook a venda dos certificados com a informação de que os interessados deveriam se inscrever, assistir aulas pela internet e realizar provas. No entanto, conforme as testemunhas, nada disso era realizado.

O professou foi preso no ato do recebimento pelos Correios de um envelope com quatro certificados, expedidos por uma instituição de São Paulo. Outros cinco foram encontrados em buscas realizadas na casa do professor, totalizando 9 certificados apreendidos, prontos para serem entregues a beneficiários.

Em contato, com a instituição expedidora, em São Paulo, a Polícia Civil foi informada que os nomes nos diplomas não constam na relação de alunos e que todos os  matriculados devem assistir às aulas pela internet e fazer a prova presencial para garantir a certificação.

Os certificados foram encaminhados à Politec e outras pessoas serão ouvidas no procedimento para identificar novos beneficiários, que também poderão responder por crime de estelionato.

O professor tem antecedentes pelo mesmo delito. Ele é acusado de falsificar um certificado de 2ª Grau do próprio filho, para ele cursar universidade.

Fonte: Assessoria de Comunicação da PJC
Imprimir Enviar para um amigo

comentar2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por EU, em 21/05/17 às 21:12

    Discordo de você, não interessa se é pouco ou muito, roubo é sempre imoral, independente de quem seja o indivíduo. Mas creio que dormir numa escola por 25 anos, sob o título de vigia noturno, sem sequer se dar o trabalho de monitorar um portão e ainda receber Menção Honrosa de governador, também é um tanto quanto imoral. Não concordas?

  • por roneu nogueira zanin, em 16/05/17 às 12:54

    E lamentavel que quem rouba pouco seja alvo de noticiarios nacionais quando que funcionarios da escola nove de julho agua boa estejam respondendo processo por desvio de dinheiro publico.e continuam exercendo suas funcoes normalmente e recebendo salario isso a midia tinha que noticiar para nos defender-mos de pessoas corruptas como essas

 
 

veja maisArtigos

Marcelo Duarte

Ferrovia como fator de competitividade

Cadeias produtivas dos mais diversos setores precisam operar sistemas logísticos eficientes para competir no mercado global e nacional. Na maioria das vezes, a disponibilização da infraestrutura de transportes, papel do Estado...

 
 
 
 
Sitevip Internet