Notícias / Negócios

14/03/17 às 19:04

Indústria goiana tem segundo maior crescimento do País, aponta estudo do IBGE

Segplan

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Goiás teve o segundo maior crescimento na produção industrial do País em janeiro, segundo a Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice, divulgado nesta terça-feira, dia 14, aponta uma expansão de 2,4% na indústria goiana, enquanto a média nacional registrou queda de 0,1%, na comparação entre janeiro e dezembro de 2016. A maior alta foi registrada no Espírito Santo (4,1%).

Apesar da queda na média nacional, 9 das 14 regiões pesquisadas tiveram crescimento na produção industrial: além do Espírito Santo e Goiás, Pará (2,4%), Pernambuco (2,1%), São Paulo (1%), Minas Gerais (0,7%), Santa Catarina (0,6%), Amazonas (0,5%) e Rio de Janeiro (0,3%). Bahia (-4,3%), Ceará (-3,4%), Rio Grande do Sul (-3,1%) e Paraná (-0,8%) recuaram.

A taxa de produção industrial de Goiás também subiu no comparativo entre janeiro de 2017 com o mesmo mês de 2016. Nesse caso, o salto foi de 8,5%. De acordo com a pesquisa do IBGE, os setores que impulsionaram o crescimento foram os de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (91%) e de produtos alimentícios (9,1%).

A produção alimentícia é exatamente a que tem o maior peso no setor industrial de Goiás. Segundo o IBGE, ela foi beneficiada pelo aumento na produção de leite esterilizado, tortas, bagaços, farelos e outros resíduos da produção do óleo de soja, além do próprio óleo de soja bruto, milho doce preparado e conservado e óleo de soja refinado. Também se destacaram os produtos químicos (24,5%), principalmente adubos e fertilizantes com fósforo e potássio. Em contrapartida, houve recuo na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (-56,7%).

A Pesquisa Industrial Mensal também demonstra que é o segundo mês consecutivo em que a indústria goiana registra crescimento, em comparação com o mês anterior. No acumulado de dezembro de janeiro, a alta chegou a 7,2%.
De acordo com a superintendente do Instituto Mauro Borges, Lilian Prado, a recuperação da indústria é um importante termômetro para a econômica goiana, principalmente para o trabalhador do setor. “Quanto mais a produção cresce, maior é a confiança dos empresários de que a economia está bem, aumentando assim as contratações”, diz.

O resultado demonstra, ainda, o resultado das políticas públicas do Governo do Estado, tais como as missões comerciais lideradas pelo governador Marconi Perillo, segurança nos contratos, ajuste fiscal e consequente manutenção de investimentos mesmo em tempos de crise.

Na semana passada, por exemplo, Marconi Perillo acertou com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a retirada de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que tramitava no Supremo Tribuna Federal (STF), por meio da qual o governado paulista tentava barrar os incentivos fiscais concedidos por Goiás ao setor produtivo. A medida foi considerada uma vitória pelo governo goiano.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Fernando Rizzolo

Vinho chileno com sabor de rebeldia

Já fui melhor nisso. Uns dez anos atrás, eu era um apreciador de vinhos. Na época, isso era uma espécie de moda, e, de todos os vinhos, o que eu menos apreciava era o chileno. Talvez em razão do meu paladar mais...

 
 
 
 
Sitevip Internet