Notícias / Agricultura

17/12/16 às 09:51

Produtores devem monitorar presença do fedegoso nas lavouras

Michel Fasolo - J.O. Pioneiro

Edição para Água Boa News, Clodoeste Kassu

Imprimir Enviar para um amigo
Produtores devem monitorar presença do fedegoso nas lavouras

Foto: Divulgação via Jornal O Pioneiro

Conhecida como fedegoso, a planta já causou problemas na safra passada e pode ser razão para restrição das cargas de soja pelas tradings no atual ciclo. A planta daninha deve ser monitorada de perto nesta safra 2016/2017 pelos sojicultores.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso (Aprosoja-MT), na última safra (2015/2016), algumas tradings dificultaram o recebimento da soja por conterem sementes da planta daninha misturadas aos grãos, entre elas o fedegoso.

O arbusto ereto pode chegar até 1,6 metros de altura. O fedegoso é um arbusto anual da família leguminosas-cesalpiniáceas e possui flores amarelo-ouro e vagens curvas, sendo comum em lavouras de soja. Ele tem substâncias tóxicas que podem contaminar uma carga inteira.
 

Marcos da Rosa, Presidente da Aprosoja Brasil
O presidente da Aprosoja Brasil, Marcos da Rosa, comenta que há três anos que as tradings estão apertando o cerco e não recebem cargas de soja com grãos de algumas ervas daninha. Marcos acrescenta que nessa safra tem aparecido muito fedegoso nas lavouras e não se sabe ao certo o motivo. O controle precisa ser feito na lavoura. Mas tem um porém. “Alguns defensivos utilizados para combater não estão mais resolvendo. É preciso monitorar”, falou.

Conforme a Aprosoja-MT, é determinada pela legislação de Classificação de Grãos a tolerância de uma partícula de semente por amostra de um quilo para cada cinco toneladas carregadas, mesmo não havendo restrições claras e específicas quanto a sementes naturalmente tóxicas.

Um gerente de uma trading ouvido pela reportagem, disse que não sabe ainda se a empresa que representa irá ou não tolerar grãos da erva daninha nas cargas, mas ele falou que na última safra muitas tradings não receberam cargas de soja com a presença do fedegoso.

Os produtores estão muito temerosos com essa condição. Em grupos de WhatsApp alegam que se as tradings não receberem a carga com tolerância, terão produtores que voltarão para suas fazendas com os caminhões cheios.

Conforme o J. O Pioneiro apurou, é muito difícil retirar o grão da carga através da classificação. O fedegoso é uma planta tóxica e a negação por parte das tradings vem dos compradores estrangeiros. A melhor maneira de evitar problemas é encontrar uma forma para controlar a praga ainda na lavoura.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Eduardo Gomes de Andrade

De palmatória

Dante de Oliveira, autor da emenda da eleição direta, é citado por seu suposto lado ambientalista enquanto criador de parques e reservas. Não vejo nesse rótulo o cerne de seu perfil, pois a verdadeira biografia...

 
 
 
 
Sitevip Internet