Notícias / Nacional

01/12/16 às 07:22

Pescadores artesanais, índios e quilombolas protestam em Brasília

De acordo com a coordenação do movimento, cerca de 400 pessoas participaram do ato em frente ao Ministério da Agricultura

Agência Brasil

Edição para Água Boa News, Clodoeste Kassu

Imprimir Enviar para um amigo
Pescadores artesanais, índios e quilombolas protestam em Brasília

Manifestação de indígenas, pescadores e quilombolas

Foto: Agência Brasil

Um grupo formado por 400 pessoas, formado por pescadores, índigenas e quilombolas, realizou uma manifestação, nesta quinta (24), em Brasília (DF).  A reivindição é a revisão de dois decretos emitidos no ano passado que alteram as regras para a concessão do seguro defeso. No valor de um salário-mínimo, o benefício é pago durante o período em que as atividades de pesca estão paralisadas para preservar as espécies.

Entre as alterações, está o pagamento do seguro apenas aos profissionais que vivem exclusivamente da pesca. Para a coordenadora do Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais, Elionice Sacramento, a medida é absurda."A gente, que se move pelo horário das marés, quando estiver com fortes ventos a gente tem que ir pro mar. Mesmo quando tiver doente. O decreto diz que não pode buscar outras formas de viver. Esse decreto quer até mesmo nos impedir de plantar para complementar a renda.

Durante o protesto, lideranças chegaram a ser recebidas por representantes do Ministério da Agricultura. Mas foram avisados de que o Ministro Blairo Maggi e o secretário de pesca, Dayvson Franklin não estavam presentes e, por isso, nenhuma medida poderia ser revogada. Mas teriam recebido a informação de que os decretos seriam revisados.

De acordo com o movimento, cerca de 600 mil carteiras de pescadores artesanais foram suspensas, canceladas ou deixaram de ser emitidas. Procurado pela reportagem, o Ministério da Agricultura afirmou que somente nessa sexta-feira poderá se manifestar sobre as carteiras de pescadores artesanais e se limitou a dizer que a emissão deve ser retomada após o recadastramento nacional de pescadores previsto para abril de 2017. 

Confira também no Repórter Amazônia desta quinta-feira (24): ação constata irregularidades nos hospitais públicos de Palmas, no Tocantins.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Juacy da Silva

CALÇADAS, UMA VERGONHA NACIONAL

Com frequência ouvimos de nossas autoridades que o Brasil é um país que possui uma das mais avançadas e atualizadas legislações do mundo que, as vezes pode ser considerado como modelo para os demais...

 
 
 
 
Sitevip Internet