Notícias / Meio Ambiente

27/10/16 às 23:42

Desafios para os sistemas agroflorestais

Evento realizado em Cuiabá, discute os caminhos para o desenvolvimento dos SAFs no Brasil

Embrapa

AGUA BOA NEWS

Imprimir Enviar para um amigo
Os desafios para os sistemas agroflorestais foram o tema central da programação desta quarta-feira do Congresso Brasileiro de SAFs. O evento está sendo realizado na Universidade Federal de Mato Grosso, em Cuiabá.

Demandas de pesquisa, linhas de financiamento, transferência de tecnologia, extensão rural e pagamento por serviços ambientais foram alguns dos pontos destacados em palestras e mesas redondas.

O pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados-MS) Milton Padovan, apresentou uma pesquisa feita com agricultores e técnicos na qual levantou diversas informações sobre percepção, adoção, intensão de adoção e gargalos sobre sistemas agroflorestais em configuração de sistemas agrosilvipastoris (ILPF) e em agroflorestas biodiversas.

Na adoção de ILPF, a falta de mão-de-bra qualificada, as variações de mercado da espécie arbórea utilizada, a falta de compensação pelos serviços ambientais e baixa atenção dada aos agricultores familiares nos modelos estudados são fatores limitantes apontados.

Já nas agroflorestas biodiversas os principais fatores limitantes são a crença na demora na obtenção de lucro, a falta de assistência técnica capacitada, a falta de incentivos governamentais e o desconhecimento técnico sobre SAFs.

Diante destas informações, Padovan elenca como desafios, entre outros, o fortalecimento de linhas de crédito para as modalidades de sistemas agroflorestais, o incentivo às políticas de pagamento por serviços ambientais, a melhoria da assistência técnica e extensão rural, a ampliação de pesquisas e da divulgação de resultados com diferentes espécies arbóreas e a intensificação das pesquisas focadas na avaliação econômica dos sistemas.

O pesquisador ainda ressaltou a necessidade da inovação nas ações de transferência de tecnologia, de modo a facilitar a apropriação dos conhecimentos pelos produtores.

"É preciso avançar em outras metodologias de transferência de tecnologia. É preciso encontrar outras ferramentas, outras alternativas", destacou Milton Padovan.

Em uma mesa redonda sobre os desafios da pesquisa em SAFs, o professor da Esalq/USP Marcos Bernardes ressaltou a necessidade da pesquisa ser desenvolvida mais próxima dos agricultores, estudando as experiências empíricas de campo. Também enfatizou a necessidade dessa interação ser feita no nível das instituições, de maneira institucionalizada, e não apenas dependendo de interações pessoais de alguns pesquisadores.

Ao apresentar dados de pesquisa sobre efeitos do sombreamento de árvores em outras culturas, o professor ainda destacou a necessidade de realização de estudos sobre as interações complexas entre os componentes de um sistema agroflorestal, de maneira a aprofundar o conhecimento.

A programação desta quarta-feira também contou com mesas redondas sobre os desafios para as políticas públicas em SAFs e para crédito rural e comercialização. O congresso ainda teve quatro minicursos, quatro palestras técnicas e apresentações de trabalhos em formato oral e em pôsteres.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet