Notícias / Política

05/06/16 às 17:57

PT promove nove Encontros Regionais; meta é recuperar apoio popular nestas eleições

Luiz Esmael - O Documento

Edição para Agua Boa News, Clodoeste Kassu

Imprimir Enviar para um amigo
PT promove nove Encontros Regionais; meta é recuperar apoio popular nestas eleições

Além de Cuiabá e Cáceres, vão sediar os debates os municípios de Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta, Juína, Tangará da Serra, Barra dos Bugres e Confresa

Foto: Luiz Esmael

Desgastado pela Operação Lava-Jato, o Partido dos Trabalhadores (PT) de Mato Grosso abriu ontem sábado (4) os Encontros Regionais que definirão as estratégias da sigla, visando às eleições municipais no Estado. Cuiabá foi a primeira cidade a sediar as reuniões na Baixada Cuiabá. Neste domingo (5), será a vez da cidade de Cáceres. Ao todo, a sigla, hoje presidida por William Sampaio, fará nove encontros.

Além de Cuiabá e Cáceres, vão sediar os debates os municípios de Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta, Juína, Tangará da Serra, Barra dos Bugres e Confresa.

Desde que iniciou o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff a cerca de um ano, o PT em Mato Grosso vem perdendo força como ocorre em nível nacional. Nas eleições de 2012, o partido elegeu 11 prefeitos no estado. Fora do poder central do País, a sigla hoje só tem quatro prefeituras, mesmo assim em cidades consideradas pequenas como Nova Brasilândia, Cocalinho, Santa Terezinha e Castanheira.

A atual prefeita de Poconé, Meira Adauto, foi eleita pelo PT, mas recentemente deixou a sigla para migrar ao maior adversário dos petistas, o PSDB do governador Pedro Taques, que foi um dos primeiros a defender a cassação de Dilma Rousseff.

Em Cuiabá, maior colégio eleitoral de Mato Grosso, o partido do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva tem Arílson Silva e Alan Kardec como vereadores na Câmara Municipal. Não elegeu nenhum deputado estadual. Em Brasília, é representado pelo deputado federal, Ságuas Moraes.

Já sem o velho aliado PMDB, o PT tenta se reconstruir sem auxílio do partido do presidente em exercício Michel Temer. De acordo com William Sampaio, por todo o processo desgastante como foi o afastamento de Dilma Rousseff, tendo o PMDB como um dos principais articuladores pelo impedimento, a sigla buscará a se aliar agora com os partidos da esquerda como PC do B e PDT, que foram contra o impeachment da petista.

Sampaio praticamente descartou uma reedição da aliança com os peemedebistas para a eleição em Cuiabá, em que a sigla não lançara ninguém, mas caminha para defender o nome do ex-juiz federal Julier Sebastião, hoje presidente do diretório municipal do PDT.

Pelo PMDB deve ser lançado o deputado federal Valtenir Pereira, que já foi do próprio PT, porém, votou pela manutenção da presidente afastada.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet