Notícias / Justiça

16/07/15 às 09:58

Penas aplicadas ao casal que matou próprio filho em Cuiabá somam 32 anos

CLÊNIA GORETH

Imprimir Enviar para um amigo
Após um ano e seis meses da ocorrência do crime, o casal denunciado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso por matar o próprio filho de apenas dois meses de vida, em um bairro de Cuiabá, foi levado a Júri Popular. Os jurados rejeitaram as teses apresentadas pelas defesas e condenaram o pai, André Luís Pinto de Souza, a 19 anos e seis meses de reclusão, e a mãe, Tainara Cardoso de Araújo, a 12 anos e seis meses de reclusão.

De acordo com o promotor de Justiça que atuou no júri, Vinícius Gahyva Martins, o réu André Luís Pinto de Souza foi condenado por homicídio doloso, com a qualificadora do motivo torpe. Já a denunciada Tainara Cardoso de Araújo foi condenada por homicídio doloso. “Os jurados acolheram a sustentação em defesa da vida da criança e da sociedade, defendida pelo Ministério Público contra os réus, afastando por 4 x 3 a incidência da qualificadora do motivo torpe com relação à mãe da vítima. Os dois estão presos desde a época em que o crime foi cometido”, explicou o promotor de Justiça.

Segundo a acusação apresentada em plenário, o crime ocorreu no dia 03 de janeiro de 2014, por volta das 23h, em uma residência localizada no bairro Ribeirão do Lipa. O pai, que estava com o bebê no colo, em meio a uma discussão, o arremessou contra um colchão que se encontrava no chão da casa após a mãe ter-lhe desferido um tapa no pescoço.

“Mesmo com evidentes sinais de que a criança não passava bem após a queda, como choros, febre, ausência de apetite e lesão na cabeça, os acusados, receosos de represálias legais, especialmente porque a criança apresentava sinais de mordida pelo corpo, em comum acordo decidiram não a levar para o hospital”, descreveu o MPE, em parte da denúncia.

Conforme o MPE, somente na madrugada do terceiro dia após a arremesso da criança, os acusados buscaram ajuda na casa de uma pastor da igreja que frequentavam. O socorro, no entanto, veio tarde demais, pois a vítima já estava sem vida devido a traumatismo crânio encefálico provocado pela queda sofrida.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet