Notícias / Nacional

26/01/16 às 07:46

CONSELHÃO DA PRESIDÊNCIA - Reitora da UFMT também fará parte

Diário de Cuiabá

Edição: Água Boa News, Clodoeste Kassu

Imprimir Enviar para um amigo
Mato Grosso ganhou mais um representante de peso no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República - CDES, com a indicação da reitora da Universidade Federal de Mato Grosso, Maria Lúcia Cavalli Neder.

Maria Lúcia Cavalli Neder também é presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), reunindo o maior número de representantes educacionais de nível superior do Brasil.

Ontem o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, através da assessoria de imprensa, confirmou a oficialização do nome do empresário e presidente do Grupo Bom Futuro, Eraí Maggi, como um dos novatos a comporem o chamado Conselhão, que é um órgão consultivo da presidente da República, Dilma Rousseff, e tem o condão de ajudar nas definições de políticas econômicas e sociais do Brasil.

Já o nome da presidente da Andifes e reitora da UFMT foi confirmado e agendado para participar da primeira reunião que acontece na próxima quinta-feira, 28, e onde se discutirá uma série de medidas que o governo federal quer colocar em prática para afastar os riscos de aprofundamento da crise econômica nacional.

Eraí Maggi apontou que a crise econômica tem o poder de piorar se não houver um entendimento único na busca de soluções possíveis. “Se não existe recurso para fazer frente a todas as necessidades, então temos que racionalizar as despesas públicas e isto se faz com políticas que vão apresentar a curto e médio prazos resultados positivos”, disse Eraí Maggi, que é o maior produtor individual de soja do mundo.

Ele citou como uma das recomendações que fará no Conselhão a conclusão de pouco mais de 100 km de pavimentação entre Mato Grosso e Pará para escoamento da safra agrícola pelo Norte, o que barateará o custo do frete e tornará a safra agrícola do Brasil mais competitiva.

Outra obra que Eraí Maggi vai defender é o fim da burocracia como a não autorização da Funai para a execução de trecho de rodovia entre Ribeirão Cascalheira e o estado de Goiás para que a safra agrícola que está a pouco mais de 100 km chegue até a Ferrovia Norte-Sul, que liga o Maranhão até o Sudeste do Brasil.

“São duas pequenas obras fundamentais que têm resultados a curto e médio prazos importantes para a economia do Brasil, pois apostando no agronegócio os resultados vão acontecer”, lembrou Eraí Maggi, sinalizando que fala pela sua área, apesar de compreender que existem outros problemas a serem debelados pelo Governo Federal.

Eraí Maggi sinalizou que o Brasil tem condições de fazer o enfrentamento da crise, mas todos têm que remar no mesmo sentido, independente de partido político ou de pessoas. O que está em jogo é o futuro da Nação.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Destino da Terra e causas das misérias humanas'

“Admira-se de encontrar sobre a Terra tanta maldade e más paixões, tantas misérias e enfermidades de toda a sorte, concluindo-se quão deplorável é a espécie...

 
 
 
 
Sitevip Internet