Notícias / Agricultura

10/10/20 às 17:51

Ministra da Agricultura diz que não há risco de desabastecimento e que preço do arroz deve cair em breve

"Não há risco de faltar arroz. Quanto ao preço,informo que o valor deverá recuar, em breve", afirmou

Assessoria Mapa

AguaBoaNews - Brasília

Imprimir Enviar para um amigo
Ministra da Agricultura diz que não há risco de desabastecimento e que preço do arroz deve cair em breve

Ministra Tereza Cristina afirmou que medidas foram tomadas para trazer estabilidade e equilíbrio paras os preços do arroz e que o produto não irá faltar na mesa do brasileiro

Foto: Mapa

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse, em suas redes sociais, que não há possibilidade de desabastecimento e que o preço do arroz deverá cair em breve com as medidas adotadas pelo governo. "Fiquem tranquilos, não há risco de faltar arroz. Quanto ao preço, informo que o valor deverá recuar, em breve", afirmou.

"Sempre fiz questão de dizer que nós não teríamos problema no abastecimento de todos os produtos que estão na mesa dos brasileiros", ressaltou.

Nesta quarta-feira (09), o Comitê-Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu nesta zerar a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado até 31 de dezembro deste ano.

"Quero dizer a vocês que as medidas que podiam ser tomadas foram tomadas para fazer a estabilidade e o equilíbrio para esse produto. O Brasil abriu mão, tirou alíquota de importação para que produto de fora pudesse entrar e trazer equilíbrio para os preços", afirmou a ministra.

A decisão determina que uma quota de 400 mil toneladas do produto poderá entrar no Brasil sem a taxa. "Abrimos somente uma quota, porque não temos necessidade de muito arroz, mas isso é uma quota de reserva para que possamos ter a tranquilidade de que o preço vai voltar, vai ser equilibrado e que o produto continuará na gôndola para todos os brasileiros. E o governo está de olho para garantir a todo consumidor que tenhamos produtos nas prateleiras, abundância de alimentos para todos", disse.

Segundo a ministra da Agricultura houve uma queda na produção do arroz que está com um preço mais alto atualmente. "No passado, o arroz teve um preço muito baixo, durante muitos anos. Nós tivemos uma queda na área de produção e o arroz, então, hoje, tem um preço mais alto, mas ele está na prateleira, vai continuar nas prateleiras", salientou.

De acordo com o Ministério da Agricultura, para próxima safra (2020/21) é esperado um aumento da produção de arroz. Dados divulgados nesta quinta-feira (10) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estimam um aumento da colheita para um patamar de 12 milhões de toneladas o que representa um crescimento de 7,2% em relação à última safra.

"A decisão de zerar a tarifa externa comum deve criar um novo teto de preços abaixo do patamar atual", disse o diretor-presidente da Conab, Guilherme Bastos. “Acreditamos que a isenção será precificada pelo mercado no curto prazo e as cotações sigam uma trajetória de estabilidade com tendência de queda nas próximas semanas”, acrescentou.

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) é o núcleo executivo colegiado da Camex, responsável por definir alíquotas de importação e exportação, fixar medidas de defesa comercial, internalizar regras de origem de acordos comerciais, entre outras atribuições. É integrado pela Presidência da República, pelos Ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Ronivaldo Lemos

Médico todo dia

Muito cedo eu tomei a decisão de ser médico. Estudei muito para entrar na Universidade Federal de Mato Grosso e me esforcei igualmente para me formar. Ali, nos corredores do Hospital Universitário, eu reafirmava todos os dias a...

 
 
 
 
Sitevip Internet