Notícias / Internacional

04/10/20 às 14:38 / Atualizada: 04/10/20 às 14:49

'Não está fora de perigo': as dúvidas sobre a saúde de Trump em tratamento contra covid-19

BBC News

Imprimir Enviar para um amigo
'Não está fora de perigo': as dúvidas sobre a saúde de Trump em tratamento contra covid-19

Trump divulgou um vídeo gravado no hospital militar onde está internado

Foto: Reuters

Após a primeira noite no hospital militar Walter Reed, o presidente Donald Trump publicou no Twitter um vídeo em que agradeceu aos profissionais de saúde por atendê-lo e disse que os próximos dias serão o "verdadeiro teste" para ele.
 
"Eu vim aqui, não estava me sentindo muito bem, me sinto muito melhor agora. Eles estão trabalhando duro para que eu me recupere. Acho que voltarei (às atividades normais) em breve", disse ele.
 
"Estou ansioso para terminar a campanha [eleitoral] da maneira como foi iniciada."
 
Trump disse estar "muito grato" àqueles que lhe enviaram votos de boa sorte e afirmou que a primeira-dama, Melania Trump, que também testou positivo para a covid-19, está "indo muito bem", apontando que ela é mais jovem do que ele e, portanto, corre menos risco.
 
Melania tem 50 anos, enquanto Trump tem 74 anos. Por ser idoso e tecnicamente obeso, ele é considerado parte do grupo de risco para a doença causada pelo novo coronavírus.
 
"Acho que vamos ter um resultado muito bom, nos próximos dias vamos ter certeza. Quero agradecer a todos, a manifestação de amor tem sido incrível", acrescentou o presidente.
 
Na noite de sábado (03/10), a equipe médica responsável pelo presidente informou que está "cautelosamente otimista", mas que Trump "ainda não está fora de perigo".
 
Mais cedo, a equipe médica fez uma declaração à imprensa na qual informou que estava "extremamente feliz" com seu progresso, após ser anunciado que o presidente americano tinha covid-19.
 
O médico Sean Conley, que lidera a equipe que cuida do presidente dos Estados Unidos, disse, nessa ocasião, que Trump está "muito bem". Conley reforçou que Trump foi levado ao hospital na sexta-feira (02/10) como uma "medida de precaução".
 
Sean Conley, médico da Casa Branca, dá entrevista à imprensa, acompanhado de outros médicos, sobre saúde de Trump
Crédito, Reuters - O médico Sean Conley declarou, em entrevista à imprensa, que Trump está 'muito bem'
 
Os profissionais responsáveis pela saúde do presidente americano disseram ainda que o estão "monitorando de perto em busca de qualquer evidência de complicações", mas dizem que ele não teve febre desde a manhã de sexta-feira.
 
Após a declaração, no entanto, surgiram dúvidas a respeito da condição da saúde de Trump.
 
Qual é a gravidade do estado de saúde do presidente dos EUA?
 
Donald Trump sob o sol
Crédito, Reuters - Trump continua trabalhando no hospital, segundo os médicos
 
Vários meios de comunicação dos Estados Unidos também divulgaram a informação de que uma fonte com conhecimento da saúde do presidente, que preferia não ser identificada, informou que alguns sinais vitais foram "muito preocupantes" nas últimas 24 horas.
 
Segundo essa fonte, o caminho de recuperação completa do presidente americano ainda não estaria claro, e as próximas 48 horas seriam críticas para avaliar a recuperação.
 
A agência AP depois confirmou que essa fonte era Mark Meadows, chefe de gabinete da Casa Branca. A avaliação de Meadows contradisse Conley a princípio.
 
Mas o chefe de gabinete disse posteriormente a jornalistas que Trump estava "indo muito bem" e que tinha se encontrado com ele "várias vezes" neste sábado, de acordo com a agência Reuters.
 
"Ele está bastante ativo e pedindo documentos para revisar", teria dito Meadows, segundo a agência.
 
O líder da maioria no Senado, o republicano Mitch McConnell, que é o político mais antigo do partido no Congresso, disse que falou com Trump ao telefone.
 
"Ele soa bem e diz que está se sentindo bem", MrConnell tuitou.
 
Trump continua trabalhando do hospital, informaram os médicos. A suíte presidencial está equipada com um escritório.
 
O tratamento de Trump inclui remdesivir, medicamento que demonstrou reduzir o tempo de recuperação do coronavírus. Em julho, o governo dos Estados Unidos comprou praticamente todo o estoque mundial do remédio para os três meses seguintes.
 
Os médicos também disseram que Trump perguntou sobre o medicamento hidroxicloroquina, mas que não está tomando no momento.
 
No início da pandemia, Trump divulgou o medicamento como um tratamento para o coronavírus, uma recomendação que não foi confirmada por pesquisas médicas.
 
Melania Trump continua na Casa Branca e não está sendo tratada no hospital militar Walter Reed.
Ela está "indo muito bem", disseram os médicos.
 
Trump precisou de oxigênio?
 
A equipe médica relatou que Trump não está precisando do suporte de máquinas que auxiliam na oxigenação e tampouco apresenta dificuldade para respirar.
 
No entanto, os médicos se recusaram a responder se ele precisou desse tipo de auxílio em algum momento.
 
Após a entrevista, vários veículos da imprensa americana relataram que o presidente americano recebeu oxigênio na Casa Branca antes de ir para o hospital.
 
O jornal The New York Times afirma ter ouvido de duas fontes que Trump teve dificuldade para respirar na sexta-feira e "seu nível de oxigênio caiu", levando a equipe médica a dar-lhe oxigênio suplementar.
 
A agência de notícias AP também relata que Trump recebeu oxigênio na Casa Branca, citando uma fonte.
 
Donald e Melania Trump
Crédito, Reuters - A primeira-dama Melania Trump também foi infectada e está sendo tratada na Casa Branca
Há quanto tempo se sabe que Trump está doente?
 
No início de sua fala, o médico de Trump disse que eles decidiram transferir o presidente para o hospital por precaução e mencionou que havia 72 horas desde o diagnóstico do coronavírus. Esse foi outro ponto que gerou dúvidas.
 
"Apenas 72 horas após o diagnóstico agora, a primeira semana de covid, em particular do dia sete ao dia dez, são os mais críticos para determinar o curso provável da doença", disse Sean Conley.
 
O período citado pelo médico chama atenção, como aponta o editor de América do Norte da BBC, Jon Sopel, porque Trump só confirmou publicamente seu teste positivo na manhã da sexta-feira (02/10), o que daria cerca de 36 horas.
 
"Durante o período de 72 horas mencionado pelo médico, Trump realizou uma coletiva de imprensa sem máscara, voou para Duluth para o comício, foi para Bedminster para uma arrecadação de fundos onde ninguém usava máscara. E se a Casa Branca sabia que ele era sintomático/tinha coronavírus, não é indefensável?", escreveu Sopel no Twitter.
 
Essa linha do tempo ficou ainda mais truncada com a revelação de que o presidente recebeu um tratamento antiviral 48 horas atrá, também antes de fazer o anúncio de que estava doente.
 
Isso exigiu uma rápida da Casa Branca, que disse que os médicos erraram e que Trump estava no "terceiro dia" de tratamento e o remédio foi administrado no "segundo dia".
 
Anthony Zurcher, repórter da BBC para a América do Norte, avalia que a coletiva de imprensa da equipe médica de Trump, em vez de esclarecer o que está ocorrendo, "só criou mais confusão".
 
"É importante que a Casa Branca se comunique claramente com o povo americano e com o mundo como um todo, porque aliados e adversários estão observando de perto a situação dos Estados Unidos", disse Zurcher.
 
"Este não é apenas um problema de saúde para o presidente, é um problema de segurança para toda a nação."
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet