Notícias / Justiça

11/09/20 às 10:00

MPF alerta para prejuízos e atrasos na entrega de loteamento em Barra do Garças no caso de invasão

O alvo da invasão são os Residenciais Carvalho I, II e III

Assessoria MPF

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
MPF alerta para prejuízos e atrasos na entrega de loteamento em Barra do Garças no caso de invasão

Foto: Assessoria MPF

O Ministério Público Federal (MPF) em Barra do Garças/MT, se manifestou, por meio de nota, sobre notícia de que um grupo de pessoas estaria organizando invasão nos residenciais Carvalho I, II e III. A obra em questão, é de titularidade da Caixa Econômica Federal (CEF) pelo Programa Minha Casa Minha Vida, em construção no Município de Barra do Garças, para a entrega de aproximadamente 1,5 mil moradias.

O procurador da república Guilherme Fernandes Ferreira Tavares afirma que a invasão comprometerá o cronograma de construção, inviabilizando a continuidade da obra, causará dano ao patrimônio público federal e ao processo de seleção dos beneficiários, frustrará todo esforço realizado pelas instituições na retomada das obras, tais como, a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para viabilizar as soluções de água e esgoto fora do empreendimento, e em nada colaborará para a resolução do grave problema de atraso nas obras.

“Além do indiscutível prejuízo social, no plano punitivo, a invasão do loteamento ensejará a responsabilização dos infratores na esfera cível, com a incidência de multa de R$ 1000,00 (mil reais) por dia, além da imediata atuação das forças policiais para a retirada do local (decisão judicial de interdito proibitório proferida nos autos de nº 1000360-35.2019.4.01.3605). Na esfera criminal, o ato de invasão tipifica os crimes de desobediência e de esbulho possessório, delitos que ensejam a prisão em flagrante dos invasores”, explica o procurador.

Guilherme Tavares ressalta ainda que “a construção e entrega das unidades habitacionais do residencial Carvalho I, II e III estão sendo acompanhadas diuturnamente pelo MPF nos autos de n° 1.20.004.000272/2018-69, sede em que têm sido realizadas inúmeras audiências com a participação de instituições públicas e privadas e, também, de populares interessados no deslinde da questão”.

Ele frisa também que canal de participação popular e democrática sempre esteve aberto para conhecimento do caso, fato que deslegitima qualquer ato tendente a invadir o loteamento que, se ocorrer, receberá resposta enérgica e eficaz dos órgãos e agentes estatais incumbidos legalmente de preservar o respeito a ordem pública.

Clique aqui e leia a íntegra da nota 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Gilberto Figueiredo

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na...

 
 
 
 
Sitevip Internet