Notícias / Policial

05/12/15 às 10:56 / Atualizada: 05/12/15 às 11:00

Garimpo ilegal volta a ser explorado em Pontes e Lacerda

Elayne Mendes, repórter de A Gazeta

Imprimir Enviar para um amigo
Mais de mil pessoas retomaram a extração ilegal de ouro na Serra da Borda, localizada em Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá). De acordo com a prefeitura do Município, a movimentação é a mesma encontrada há três meses, quando existiam cerca de cinco mil garimpeiros atuando no local. Comércio, prostituição e até mesmo tráfico de drogas acontecem na serra, que dessa vez está ocupada por pessoas, na maioria, dos estados de Rondônia e Acre.

Instituições de segurança pública estadual e federal já estariam articulando uma possível ação de desocupação. Um pedido de reforço da Força Nacional já foi feito ao Governo Federal, mas até o momento não houve um posicionamento da União por parte da solicitação.

No dia 10 de novembro, a Polícia Federal anunciou que o garimpo ilegal existente em Pontes e Lacerda havia sido totalmente desocupado, após a deflagração da operação “Terra do Nunca”, a qual contou com a participação das polícias Rodoviária Federal (PRF), Civil, Militar, Grupo de Operações Especiais da Fronteira (Gefron) e o Corpo de Bombeiros. Na época, a saída da região aconteceu pacificamente, porém em forma de protesto cerca de 200 garimpeiros fecharam por três dias o km 289, da BR-174, rodovia que dá acesso à cidade. Eles também deixaram o local após a intervenção da Tropa de Choque.

Coordenador de Comunicação da Prefeitura de Pontes e Lacerda, Gilmar de Souza informou que o clima é de tensão na Serra da Borda. “Eles voltaram para o topo da serra e a maioria está armada. Tentamos entrar no local, mas eles não deixaram e chegaram a quebrar o celular de um dos técnicos que estava em nossa equipe”. Os garimpeiros chegaram também a avisar que qualquer pessoa ou equipe de imprensa que se aproximasse do local teria a entrada barrada e os equipamentos quebrados.

Souza informou ainda que apesar da maioria das pessoas que estão na serra ser de outros estados, moradores de Pontes e Lacerda também estão retornando ao local. “A cidade está parada, muitas pessoas deixaram seus serviços e foram para lá. O comércio voltou a aquecer já que estão comprando marteletes e gerador para trabalhar. Porém, dessa vez o prefeito preferiu não intervir, já que os garimpeiros disseram não se interessar em explorar o local por meio de cooperativa”.

Reforço permaneceu 15 dias
Desde que houve a desocupação da Serra da Borda, em Pontes e Lacerda, no dia 10 de novembro, forças policiais continuaram a realizar rondas nas vias que dão acesso ao local. Porém, segundo a prefeitura do Município, o patrulhamento foi suspendido 15 dias depois. Mas, antes mesmo disso, alguns garimpeiros já estariam se deslocando para a serra, no período da madrugada e retornando para a cidade antes dos policiais retomarem as atividades.

Inspetor da PRF, em Pontes e Lacerda, Ailton Antônio da Silva disse já estar acompanhando a situação na Serra da Borda, porém até o momento não há um plano de desocupação definido. “Estamos mantendo contato com a Polícia Federal e a Militar, esta última é que tem acompanhado o caso mais de perto. É certo que em breve uma ação será realizada para conter a permanência dos garimpeiros lá. Porém, o efetivo disponível é baixo e será necessário um reforço”. Silva acrescenta que a solicitação para que a Força Nacional atue no caso já foi encaminhada à Brasília. “Estamos aguardando uma resposta, que esperamos ser positiva”.

Diante da informação do retorno de garimpeiros à Serra da Borda, o juiz Mauro César Garcia, da 1ª Vara da Justiça Federal de Cáceres, solicitou que sejam levantadas provas a cerca da situação para que caso confirmado, medidas judiciais sejam tomadas o mais breve possível.

Entramos em contato com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), que informou que apenas a Polícia Federal poderia se pronunciar, uma vez que é responsável pelo caso. Mas que a pasta afirmou que as forças de segurança pública do Estado estão prontas para apoiar a ação da PF no cumprimento da ordem judicial.

A assessoria de comunicação da PF disse não conseguir confirmar a situação, pois o delegado Jesse James Rodrigues Freire, responsável pelo caso, não foi encontrado para se pronunciar. Porém, a instituição garante que caso o garimpo tenha sido retomado, novas ações deverão ser planejadas para que o local seja definitivamente desocupado.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Pessoas de lua'

Quantas vezes nos deparamos com pessoas que podem ser colegas de trabalho ou até parentes e residentes na mesma morada que dizem: “hoje eu não estou nos meus dias”; “hoje não estou...

 

Enquete

Quem você gostaria que fosse o próximo presidente do Brasil

 
 
 
Sitevip Internet