Notícias / Agricultura

27/08/20 às 09:15

Déficit de armazenagem amplia importância de classificação de grãos em Mato Grosso

CNA

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Déficit de armazenagem amplia importância de classificação de grãos em Mato Grosso

Foto: Assessoria Aprosoja

Ao final da safra - entre a colheita e entrega de grãos - produtores rurais enfrentam um dos maiores gargalos na produção agrícola: a classificação dos produtos de origem vegetal. A etapa é crucial para a comercialização dos produtos e interfere na receita bruta do produtor. Para promover capacitação para os classificadores, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) em parceria com os Sindicatos Rurais realizou cerca de 10 treinamentos neste mês de agosto.

Dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), indicam que dentre os principais motivos para a tamanha importância da classificação é o déficit de armazenagem do Estado. Segundo metodologia preconizada pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a disponibilidade ideal de armazéns é 120% da produção anual de grãos. Mato Grosso possui um déficit de 64%.

Canarana é um dos municípios em que somente a minoria dos produtores possui armazém próprio. Segundo o presidente do sindicato rural local, Rodrigo Piccinini, a classificação é o coração da produção agrícola e é necessária ser feita com zelo. "Não adianta investir na lavoura e perder na classificação. É primordial que seja feita com ética e comprometimento senão causa muitos danos".

Segundo o presidente, além dos benefícios ao proprietário rural, os cursos também trazem vantagens à comunidade. "A capacitação dá emprego aos moradores e abre as portas para eles começarem uma trajetória trabalhando dentro do agro".

Para Mayra Bordin, 19, de Sinop, participar do treinamento do Senar-MT foi uma oportunidade para adquirir conhecimento na área de formação. "Estou no segundo semestre de agronomia e eu não tinha ideia de como era feita esta análise. Foi muito importante para eu aprender como funciona a prática”.

A classificação de produtos de origem vegetal é obrigatória de acordo com a Lei nº 9.972/2000. A atividade é feita por amostragem tanto na entrada quanto na saída dos armazéns para comercialização e interfere na receita do produtor. Segundo o instrutor credenciado junto ao Senar-MT, Antônio Xavier, a instituição promove o curso para classificação comercial. "Têm pessoas que iniciam o curso sem saber nada sobre a área e ao final do treinamento são contratadas".

Tecnologia - Devido a importância da etapa, há cada dia mais iniciativas que juntam a atividade com a tecnologia. Segundo o head do Agrihub, Otávio Celidônio, a iniciativa vencedora do 2º Hackathon Dev. Agri – em 2017 - foi relacionada à classificação de grãos. "Tem muita ideia boa nessa área e investimentos de Startups para melhorar essa etapa para o produtor".

Integrante da equipe vencedora, o CEO da Startup Smart Grain (antiga Color Grain), Vitoriano Ferrero, estima que até 2021 seja lançado um aplicativo (app) que classifique grãos. "Atualmente, o produtor depende de uma análise, mas com o app ele poderá ter uma base de comparação".

Segundo o CEO, "o classificador sempre será um elemento indispensável, mas o aplicativo vai auxiliá-lo a fazer a análise de uma melhor forma". Opinião diferente da Startup Tbit que acredita em uma intervenção cada vez mais tecnológica.

De acordo com o diretor executivo, Igor Chalfoun, a área segue a tendência mundial e futuramente poderá sofrer impactos devido a adoção da tecnologia. "Várias áreas estão mudando e é importante que as pessoas se capacitem e acompanhem essa mudança. Hoje na tecnologia da nossa Startup, por exemplo, o fator humano não faz a classificação, mas precisamos de alguém para operar o sistema".

A Startup mineira, que também atua em outros quatro países, instalou um projeto de inovação tecnológica em Mato Grosso. Na iniciativa, um equipamento e um software substituem a intervenção humana no processo de classificação. "O projeto ainda não está a nível de produtor devido aos custos operacionais, mas as empresas que já possuem essa tecnologia nos dão feedback positivo", analisa.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Gilberto Figueiredo

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na...

 
 
 
 
Sitevip Internet