Notícias / Governo de MT

24/08/20 às 12:05

Cobrança do Fethab será sobre grãos aptos à comercialização

Assessoria Famato

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Cobrança do Fethab será sobre grãos aptos à comercialização

Foto: Assessoria

O governador Mauro Mendes sancionou a Lei nº 154/2020 aprovada pela Assembleia Legislativa que ajusta a forma de cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) sobre a produção de soja e milho. A lei aprovada é de autoria do deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC).
 
A nova lei regulamenta o formato de cobrança sobre a produção, que está de acordo com o decreto já editado pelo Governo do Estado. Desta forma, a cobrança do fundo não incide mais sobre a tonelada bruta do grão transportado, mas sim, sobre a tonelada já classificada sem as impurezas e umidade, conforme os critérios do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).
 
O ato de assinatura da lei aconteceu na manhã do dia 20 de agosto, no Palácio Paiaguás, e contou com a presença dos diretores da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Vilmondes Sebastião Tomain (Administrativo e Financeiro), José Luiz Fidelis (Relações Institucionais) e representantes de instituições do agronegócio mato-grossense.
 
A Famato foi demandada pelos Sindicatos Rurais de Água Boa e de Ipiranga do Norte pela interpretação de uma única empresa do setor de comercialização. Esta empresa alegou que a cobrança era feita pelo valor bruto do produto que chegava para a unidade de secagem e armazenamento, seria descontado o Fethab e não o valor líquido comercializado.
 
“Quando eu comercializo um produto, está convencionado no contrato que eu devo entregar soja padrão exportação, então é límpido e transparente que a cobrança seja feita sobre o produto líquido que está em contrato e não pelo bruto, pois o bruto considera-se material estranho e não recebemos por ele. Com essa alteração, espero que fique esclarecido a esta empresa definitivamente que o produto deve ser descontado o FETHAB, somente referente ao peso líquido", afirmou o diretor José Luiz Fidelis.
 
Segundo Fidelis, foi levado ainda ao conhecimento do Governador e dos Deputados que essa mesma empresa estaria promovendo uma bagunça fiscal junto aos produtores e pediu que fossem tomadas providências pela Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz-MT), caso contrário os produtores rurais terão problemas num futuro bem próximo pela forma de atuação no que diz respeito à complementação de nota fiscal de entrega de produto.
 
O autor da lei, Xuxu Dal Molin, agradeceu a Famato, sindicatos rurais e entidades do Agro mato-grossense pela união com o governo do estado para melhorar a tributação e a segurança do homem do campo.
 
Segundo o governador Mauro Mendes, 40% do imposto recolhido vai para a infraestrutura de Mato Grosso e os outros 60%, por enquanto, vão para a Conta Única do Estado, que ajuda na composição das despesas totais do governo, como o pagamento de polícias, professores, profissionais da saúde, recuperação de hospitais, entre outros.
 
A Lei tem o apoio de outros nove deputados estaduais Dilmar Dal Bosco, Ulisses Moraes, Carlos Avalone, Valmir Moretto, Wilson Santos, Nininho, Dr. Eugênio, Dr. João e Silvio Fávero.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Gilberto Figueiredo

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na...

 
 
 
 
Sitevip Internet