Notícias / Saúde e Ciência

10/08/20 às 12:09 / Atualizada: 10/08/20 às 13:27

Saúde indígena do interior de MT fica sem aviões para atendimento as aldeias

Estadão Conteúdo

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Saúde indígena do interior de MT fica sem aviões para atendimento as aldeias

Aeroporto de Canarana

Foto: Divulgação Google

Populações de regiões mais isoladas do Centro-Oeste brasileiro enfrentaram, nas últimas semanas, a falta de aeronaves para socorrer vítimas da covid-19.

Neste mês, a suspeita de adulteração em lotes da gasolina usada em aviões com motor a pistão, investigada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), afetou o tráfego de aeronaves que prestam serviço ao Distrito Sanitário Especial Indígena do Xingu, unidade que integra a rede pública de atenção à saúde indígena, em Canarana (MT).

O combustível disponível na região estava entre aqueles com qualidade suspeita, segundo a agência. Por recomendação da ANP, a empresa contratada pelo governo para levar pacientes de aldeias indígenas aos centros urbanos, inclusive aqueles com covid-19, suspendeu temporariamente as decolagens. Entidades contrataram voos alternativos para que o transporte não fosse totalmente interrompido.

Na semana passada, uma grávida da aldeia piyulaga, às vésperas de dar à luz, precisou ser transportada de avião às pressas por causa da saúde debilitada. Pilotos que voam a rota disseram que, para esses casos, o abastecimento era feito em Água Boa (MT), onde haveria um lote de combustível diferente do disponível em Canarana.


A Petrobrás fez um comunicado em 11 de julho sobre a suspeita que havia identificado no combustível. A partir de então, a distribuição do produto havia sido suspensa e a empresa passou a substituir a gasolina suspeita enviada aos postos. Segundo informações do Distrito Sanitário Especial Indígena do Xingu, o problema está sanado desde a última segunda-feira, e os voos, restabelecidos.

Cacique

Na quarta-feira, 5, o cacique Aritana Yawalapiti, de 71 anos, um dos principais líderes indígenas do Alto Xingu, morreu vítima do novo coronavírus. Sem conseguir transporte aéreo em Canarana, o cacique foi levado de carro até Goiânia, onde ficou internado por duas semanas. Ele não resistiu às complicações da doença.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet