Notícias / Agropecuária

06/08/20 às 15:52

Desmatamento em MT foi reduzido em 86%

Sistema comprova ainda que mais de 50% das propriedades rurais de MT são preservadas

Rodrigo Meloni, assessoria Acrimat

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Desmatamento em MT foi reduzido em 86%

Foto: Divulgação

Mato Grosso conta com uma das maiores reduções de desmatamento no Bioma Amazônia. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 2004 foram desmatados 11.814 km² e, em 2019 esse número reduziu 86%, passando para 1.702 km². Esse número está abaixo do limite estabelecido pelo Acordo de Paris, que é de 1.788 km².

O governo estadual divulgou nesta terça (04) que a média da redução do desmatamento no Bioma Amazônia foi de 64% entre 2004 e 2019. Deste modo, Mato Grosso teve uma redução 34,4% superior à média nacional.

Outro dado, este extraído do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) comprovam que 51,4% do total da área das propriedades rurais são áreas de preservação da vegetação nativa, informa o Observatório do Desenvolvimento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT).

Estes dados somam-se a outros de entidades respeitadas pela comunidade científica mundial, como os divulgados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que apontam, por meio de estudos realizados durante décadas, que a pecuária brasileira alia produtividade à preservação do meio ambiente.

De acordo com a empresa, 25,6% do território nacional dedicado a preservação da vegetação nativa está localizada em imóveis rurais, o que mostra que o papel do produtor é importantíssimo na preservação do meio ambiente.

“Esta é uma informação que deve ser levada ao conhecimento de todo cidadão brasileiro, é preciso que a sociedade tenha a real compreensão da atividade agropecuária. Nós não somos os vilões do meio ambiente”, diz o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).

Ainda segundo o governo federal, as áreas protegidas de vegetação nativa em unidades de conservação integral e terras indígenas somam 24,2% do nosso território; isso quer dizer que o total de áreas protegidas no Brasil equivale a superfície de 15 países da União Europeia.

Tecnologia e meio ambiente

A pecuária mato-grossense reduziu aproximadamente 1 milhão de hectares da sua área de pastagem. Em 2009, o estado possuía um rebanho de 27,3 milhões de cabeças de bovinos em 25,3 milhões de hectares.

Dez anos depois, são 30,1 milhões de animais em 24,4 milhões de hectares. Isso se deu em função de investimentos e uso de tecnologias disponíveis elevando a produtividade e permitindo a transferência dessas áreas para outras atividades econômicas.

“Isso mostra que o pecuarista é o maior aliado do meio ambiente. Nos preocupamos com a sua preservação, pois é da terra que tiramos nosso sustento, nosso ganha pão; é primordial que cuidemos do meio ambiente para continuar a desenvolver nossa atividade, e os dados, que são dados sérios, feitos com base em estudos científicos, mostram que estamos fazendo nosso papel na preservação do meio ambiente”, conclui Oswaldo Ribeiro.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Melancolia

          O poeta cantou assim: “tem dias que a gente se sente, como que partiu ou morreu...”. De fato às vezes nos desligamos do mundo como se não estivéssemos mais aqui...

 
 
 
 
Sitevip Internet