Notícias / Policial

02/12/15 às 08:12

CIDADES DO MEDO: Novembro fecha com 38 homicídios e três latrocínios; 370 assassinatos em 11 meses

A violência é só na Grande Cuiabá. Pelo interior do Estado os crimes contra a vida estão aumentando mais de 50% por mês

José Ribamar Trindade

24 Horas News

Imprimir Enviar para um amigo
Cuiabá e Várzea Grande já tem um mais de um assassinato por dia em 11 meses, antes do ano acabar.

Novembro fechou com 41 assassinatos: 30 em Cuiabá e 11 em Várzea Grande (Grande Cuiabá). Em 334 dias – de janeiro a novembro -, a Polícia já registrou 370 assassinatos, sendo 346 homicídios e 24 latrocínios: roubos seguidos de morte.

Mesmo com 41 assassinatos, novembro ainda não é o mais violento de 2015. Outros dois meses deste ano registraram mais de 41 homicídios e latrocínios. Tudo isso só em Cuiabá e Várzea Grande.

O que mais assusta a população e a própria Polícia, no entanto, são os crimes de latrocínio. Novembro fechou com três pessoas mortas por bandidos durantes assaltos à mão armada.

No total, em 11 meses deste ano, 24 pessoas trabalhadoras, honestas e inocentes, foram mortas a tiros por bandidos durante assaltos.

O que também chama a atenção da sociedade, é o fato de mais de 80% dos casos estarem relacionados a morte por execução de pessoas envolvidas, principalmente com tráfico e uso de drogas e roubos.

ALERTA - Os números apresentados são referentes apenas as cidades de Cuiabá e Várzea. Pelo Interior do Estado também estão matando muita gente todos os dias. Pelo interior o aumento da violência dos crimes contra a vida: homicídios e latrocínios é de mais de 50% ao ano.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Telma Cenira Couto da Silva

As mulheres da minha vida

Thomires era o nome da minha avó paterna.  Descendente de franceses, tinha a pele muito alva e os olhos azuis claros, que lembravam o mar. O louro esbranquiçado do seu cabelo remetia-me aos das minhas bonecas. Adorava admirar o...

 
 
 
 
Sitevip Internet