Notícias / Meio Ambiente

30/07/20 às 16:24 / Atualizada: 30/07/20 às 16:41

Forças Armadas empregam cinco aeronaves no combate a incêndio no Pantanal

Capitão-Tenente Fabrício Costa

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Forças Armadas empregam cinco aeronaves no combate a incêndio no Pantanal

Foto: FFAA

As Forças Armadas empregam cinco aeronaves no combate a incêndio no Mato Grosso do Sul e atuam em parceria com agências federais e estaduais. Por conta das queimadas na região, atendendo ao pedido do Governador do Estado, o Ministério da Defesa deflagrou, no sábado de manhã (25/7), a Operação Pantanal.


 Foto: FFAA

Dois helicópteros da Marinha (Esquilo e Super Cougar), um do Exército (Pantera) e um da Força Aérea (Black Hawk) estão sendo utilizados na missão, além do avião cargueiro C-130 Hércules da FAB.


 Foto: FFAA

O helicóptero Esquilo da Marinha está sendo utilizado em reconhecimento, transporte de brigadistas e também no combate direto ao incêndio, com um “bambi bucket” – dispositivo de combate a incêndios que permite aos operadores dessas aeronaves chegarem mais perto de incêndios e despejar água e espuma de forma mais precisa.

Já a aeronave HM-1 Pantera, do Exército Brasileiro, está sendo usada no transporte de pessoal e no reconhecimento e levantamento dos pontos de incêndio no Pantanal.

Além disso, o Hércules C-130, da Força Aérea Brasileira, opera de Campo Grande, munido do sistema de combate a incêndio “Modular Airbone Fire Fighting System” (MAFFS). O avião cargueiro tem capacidade de despejar até 12 mil litros de água em cada sobrevoo.

Operação Pantanal

No último sábado, quando começou a Operação Pantanal, as aeronaves militares realizaram três voos de reconhecimento. O primeiro no entorno das cidades de Corumbá e Ladário, ambas em Mato Grosso do Sul.

Em seguida, as Forças Armadas apoiaram o Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso do Sul e o IBAMA em os voos que combateram focos de incêndio na Estrada da Codraza e em Baia Negra, além do norte do Porto Geral de Corumbá e na Volta do Arancuã.

O Ministério da Defesa (MD) atende à solicitação recebida na noite de sexta-feira passada (24), do Governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que decretou também estado de emergência. Para a execução da operação, o MD estabeleceu um Centro de Coordenação no Comando do 6º Distrito Naval, na cidade de Ladário (MS).


 Foto: FFAA
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Gilberto Figueiredo

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na...

 
 
 
 
Sitevip Internet