Notícias / Negócios

29/07/20 às 15:43

Mercado imobiliário se recupera dos efeitos da pandemia no segundo trimestre em Cuiabá

Stephanie Romero

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Mercado imobiliário se recupera dos efeitos da pandemia no segundo trimestre em Cuiabá

Foto: Assessoria

Após registrar diminuição no ritmo de comercialização e faturamento de imóveis no final do primeiro trimestre de 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, a pesquisa do trimestre seguinte, realizado pelo Sindicato da Habitação de Mato Groso (Secovi-MT), se manteve estável, com 1.997 imóveis comercializados e R$ 650.264 milhões em faturamento no período.

O número de imóveis comercializados é 6,5% maior na comparação com o trimestre anterior, mas apresentou retração de 6,6% sobre o mesmo trimestre de 2019. Em relação aos valores transacionados, o montante atual é 0,7% inferior sobre o primeiro trimestre de 2020 e 1,34% superior se comparado com o segundo trimestre do ano passado.

Para o presidente do Secovi-MT, Marco Pessoz, foram as ações macro econômicas que contribuíram para a retomada das atividades no setor imobiliário, com a taxa de juros Selic abaixo dos 3%, o que reflete diretamente na composição dos juros praticados pelas instituições financeiras, fazendo assim com que o custo do dinheiro se torne cada vez mais acessível e atraente para o mercado consumidor.

“A baixa dos juros praticados no mercado influencia e impulsiona diretamente o setor produtivo da habitação, pois tantos os consumidores aproveitam esse bom momento para tomar sua decisão de compra e aquisição do imóvel, como também os investidores desse segmento que enxergam uma grande oportunidade nesse momento para realização de negócios”, disse o presidente do Secovi-MT.

Pessoz conclui que o segmento tem contribuído com toda a economia, pois ajuda a impulsionar os demais segmentos e, consequentemente, toda a cadeia produtiva. “Quando um imóvel é comercializado, toda uma engrenagem econômica se movimenta, pois o dinheiro dessa comercialização começa a girar tanto no setor público por meio do recolhimento de taxas, como nos setores privados. Como exemplo nos segmentos de varejo, como móveis e eletrodomésticos, também no de serviços quando falamos de instalações e pequenas reformas, o que já movimenta economicamente o setor das lojas de materiais para construção, e assim por diante, o que aquece a economia e principalmente mantem empregos”.

Novos, usados e por região

A comercialização dos imóveis na capital foram, na maioria, de usados, com 1.685 e apenas 312 novos. No ano passado, também no mesmo período, o número de novos imóveis comercializados foi de apenas 145 unidades, contra 1.993 unidades usadas.

Dentre as regiões da capital, a que apresentou maior transação de unidades no segundo trimestre foi a região Leste (727), seguida da Oeste (589), Norte (380) e, por último, a Sul (278). A zona rural comercializou 23 unidades no período.

O estudo de evolução do mercado imobiliário conta com o apoio da Fecomercio-MT e é realizado desde 2015 pelo Secovi-MT em uma parceria com a Secretaria de Fazenda do Município de Cuiabá, com fonte dos dados do ITBI municipal.

 
Tenha acesso a pesquisa, no site da Fecomércio-MT.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pandemia com clausura

Quando chegamos ao Planeta Terra encontramos dificuldades no convívio com pessoas que vamos encontrando pelo caminho. Interessante que não adianta nos mudarmos de bairro, cidade e até de estado, que vamos nos deparar com...

 
 
 
 
Sitevip Internet