Notícias / Nacional

20/06/20 às 09:00

Ministério da Cidadania informa que mais de 4.700 municípios aderiram a repasses para o SUAS

Além de equipamentos de proteção individual, recursos devem garantir reforço proteico a pessoas vulneráveis, principalmente idosos

Luciano Marques

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Ministério da Cidadania informa que mais de 4.700 municípios aderiram a repasses para o SUAS

Foto: Assessoria

O Ministério da Cidadania informou que até 4 de junho 4.737 municípios já tinham aderido a equipamentos e recursos repassados ao Sistema Único de Assistência Social (Suas). O ministro Onyx Lorenzoni destacou, em reunião do Conselho do Governo Federal, a importância do Auxílio Emergencial, ao qual ele chamou de “gigantesca rede de proteção social”. Em 8 de maio e 8 de junho deste ano, a pasta repassou, via Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS), R$ 1,2 bilhão para os gestores locais terem melhores condições de proteger a população mais vulnerável durante a pandemia.

Os recursos foram garantidos na Medida Provisória nº 953, publicada em 16 de abril, que abriu crédito extraordinário de R$ 2,5 bilhões para o Suas. O recurso é direcionado para o investimento em aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais das unidades públicas de atendimento, e para a compra de alimentos, prioritariamente ricos em proteínas, para reforçar a alimentação de idosos e pessoas com deficiência atendidas no Serviço de Acolhimento Institucional.

O Ministério da Cidadania editou duas portarias (369 e 378) a respeito do recurso extraordinário e as indicações devem ser seguidas pelos gestores. Na primeira Portaria, os gestores devem destinar os recursos para a estruturação da rede do Suas e a realização de ações socioassistenciais, definindo que o crédito extraordinário tem que ser voltado para aquisição de EPIs e de alimentos, além do acolhimento de público prioritário indicado na normativa.

Já na Portaria 378/2020, os prefeitos terão que utilizar os recursos extraordinários para incremento temporário na execução de ações socioassistenciais no âmbito da Proteção Social Básica e Especial. Para isso, considera os serviços socioassistenciais ofertados nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e nos Centros de Referência Especializado da Assistência Social (Creas).

Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), os repasses são fundamentais para fortalecer o trabalho no âmbito da Proteção Social Básica e Especial, como aumentar a capacidade de atendimento e de pagamento e contratação de pessoal, e realizar campanhas para informar os usuários a respeito das medidas de proteção contra o novo coronavírus. Do total disponibilizado, estima-se que cerca de R$ 900 milhões serão utilizados de acordo com a Portaria 369 e aproximadamente R$ 600 milhões pela Portaria 378/2020. Isso significa que pouco mais de R$ 1 bilhão poderá ser investido em ações do Suas com foco no enfrentamento à pandemia.



Lorenzoni explica que esses recursos vão dar essa condição que os municípios precisam para colocar em ação suas equipes, com combustível, capacidade de comunicação, aquisição de alimentos, equipamentos de proteção e todo o necessário para que o “exército do bem” da assistência social possa estar nas ruas, morros, favelas, vilas comunidades ribeirinhas e nas instituições de acolhimento e abrigamento. Ele destaca que os mais vulneráveis, idosos, acolhidos e desabrigados serão os mais beneficiados. 

“O outro pilar desse programa é a alimentação, principalmente dos idosos, que é a população de maior risco, que estão nas ILPIs, as instituições de longa permanência. Vamos dar condições aos municípios, pelos próximos seis meses, para que possam adquirir alimentos e atender os asilos, orfanatos e todas as instituições de acolhimento, onde a pessoa passa um dia para fazer algumas refeições”, ressalta o ministro. “De tal forma que é uma cobertura importante para melhorar a condição nutricional e proteica da pessoa, para que ela possa ter melhores condições de combater a Covid-19.”

Segundo Mariana Neris, secretária Nacional de Assistência Social, até a manhã de 18 de junho, o Ministério da Cidadania já havia contabilizado 4.952 entes que realizaram os aceites referentes às metas propostas para o enfrentamento da pandemia no que diz respeito à Assistência Social.

“Isso representa cerca de 89% dos municípios e estados elegíveis que contabilizam um valor de R$ 816 milhões. Esses recursos foram distribuídos para a aquisição de EPIs, para apoiar os trabalhadores no atendimento da população em situação de vulnerabilidade pelas unidades da assistência social. Também para a compra de alimentos e para o atendimento da população em situação de rua, de forma a dar maior dignidade e atendimento a essas pessoas, aumentando a capacidade de resposta a uma possível contaminação”, explica Mariana.

Ainda segundo a secretária, os estados que não foram elegíveis foram Rio Grande do Sul e Alagoas. Já os outros 24 estados, cinco ainda não fizeram o Aceite, que são Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Tocantins. Os demais já fizeram o Aceite e já tiveram os recursos repassados. O Mato Grosso foi o único que recusou a oferta, preenchendo no sistema que não teria a intenção de contar com o auxílio.

Dulce Maria de Paula, secretária de Assistência Social de Valinhos-SP, conta que o Aceite já foi feito pelo município, que agora aguarda os recursos para a compra de equipamentos de proteção para a equipe que faz os atendimentos e a aquisição de gêneros alimentícios proteicos para idosos e pessoas com deficiência que são acolhidas em instituições da cidade. Segundo ela, três instituições serão contempladas e ajudarão cerca de 50 idosos e 135 pessoas com deficiência. 

“Estamos com todo trabalho voltado para a população em situação de vulnerabilidade maior. Temos as situações de risco, o idoso e o deficiente com maiores dificuldades. Esse repasse é muito bem-vindo nessa hora. A situação do município em termos de orçamento já estava apertada e essa retaguarda do Governo Federal vem de encontro com a necessidade que estamos vivendo”, relata Dulce.   

Um terceiro repasse deve ser feito em 8 de julho. Para serem elegíveis a receber os equipamentos de proteção, os estados, os municípios e o Distrito Federal precisam ter em sua estrutura unidades do Suas, como Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Centro-Dia, Centro-Pop, Centros de Convivência e Unidades de Acolhimento.

No caso da aquisição de alimentos, o requisito é que os municípios e os estados tenham Centros-Dia ou unidades de acolhimento para idosos ou pessoas com deficiência.  O referencial para cálculo do valor dos repasses é o número de pessoas atendidas em unidades de acolhimento em abril de 2020. No caso dos Centros-Dia, a referência é o Censo do Sistema Único de Assistência Social de 2019.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Destino da Terra e causas das misérias humanas'

“Admira-se de encontrar sobre a Terra tanta maldade e más paixões, tantas misérias e enfermidades de toda a sorte, concluindo-se quão deplorável é a espécie...

 
 
 
 
Sitevip Internet