Notícias / Agricultura

18/06/20 às 11:52

Governo Federal autoriza R$ 236 bi para o Plano Safra 20/21 e contempla pleitos da Aprosoja relacionados ao PCA

Associação pediu dentre elas a equalização da taxa de juros PCA e a equalização das taxas de juros do crédito agrícola.

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Governo Federal autoriza R$ 236 bi para o Plano Safra 20/21 e contempla pleitos da Aprosoja relacionados ao PCA

Foto: iStock/Mapa

Produtores rurais poderão contar com orçamento de R$ 236,3 bilhões de investimentos por meio do Plano Safra 2020/2021 lançado oficialmente nesta quarta-feira (17.06), pelo Governo Federal. São R$ 13,56 bilhões a mais, se comparado com o plano anterior que foi de R$ 222,74 bilhões. Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) participou da construção do planejamento com inúmeras propostas, dentre elas a equalização da taxa de juros do Programa de Construção de Armazéns (PCA), e a equalização das taxas de juros do crédito agrícola.

Na sugestão encaminhada no dia 07 de abril ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a Aprosoja enfatizou o aumento de recursos para o PCA, com foco para armazéns de até 6.000 toneladas à taxa de 3,75% a.a. Também fez parte das propostas, a equalização das taxas de juros ao patamar da Selic (3,75%), já que nos últimos anos, as principais linhas do Plano Safra tiveram juros superiores à inflação e à taxa básica de juros da economia.

O Plano Safra lançado nesta quarta-feira, mostra queda de 1% nas taxas para o PCA, ficando em 5% a.a para armazéns de até 6 mil toneladas. O total de recursos destinado à armazenagem é de R$ 2,2 bilhões, quando no plano anterior o investimento total foi de apenas R$ 1,8 bilhão.

Conforme o vice-presidente da Aprosoja Mato Grosso, Fernando Cadore, a associação ouviu as demandas dos produtores e encaminhou as sugestões com bastante antecedência, porém de acordo com a necessidade dos pequenos, médios e grandes produtores associados. “Indicações foram envidadas em ofício no início abril e inclusive foram pautas na imprensa nacional, conforme matérias publicadas no Valor Econômico. Procuramos agir como sempre, ouvindo a nossa base e realizando propostas que fossem de encontro com as necessidades do produtor rural”, explicou Cadore.

Sobre investimentos em armazenagem, Cadore lembrou que Mato Grosso tem apenas 50% da capacidade estática que precisa ampliar este número com oportunidade aos produtores rurais de terem seus armazéns, o que foi mais uma demanda da Aprosoja ao MAPA.

“Temos um déficit muito grande. Do que tem instalado menos de 45% está nas mãos dos produtores, então a produção aumenta ano a ano e precisamos do credito com juros acessíveis, desburocratizado para que os produtores, pequenos, médios e grandes tenham oportunidade de ter sua armazenagem. Isso tira um pouco do gargalo logístico, porque o fato de a produção ficar na fazenda, deixa o período maior para escoar aos destinos”, pontuou.

Plano Safra 20/21 - Do total disponibilizado, R$ 179,38 bilhões são para custeio, comercialização e industrialização. Outros R$ 56,92 bilhões para investimento.  Os juros do crédito de custeio variam de 2,75% a 6,0% ao ano, dependendo do porte do produtor. As taxas de juros para investimento estão entre 4,5% a.a. e 7,5% a.a.

Já o orçamento disponível para subsidiar o Prêmio do Seguro Rural (PSR) é de R$ 1,3 bilhão, com estimativa de contratação de 298 mil apólices, num montante segurado da ordem de R$ 52 bilhões e cobertura de 21 milhões de hectares.

Equipamentos de monitoramento climatológico, como estações meteorológicas e softwares, e de monitoramento da umidade do solo poderão ser financiados pelo Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido (Moderinfra).

O Programa Nacional de Bioinsumos, que tem como objetivo alavancar a produção e uso de insumos, como biodefensivos e biofertlizantes, para reduzir a dependência dos produtores rurais em relação aos insumos importados, contará com linha de crédito para incentivar a adoção de tecnologias relacionadas aos bioinsumos dentro das propriedades rurais e cooperativas. Os recursos estão previstos no Inovagro e, no caso dos investimentos em biofábricas, podem chegar a 30% do valor de todo o financiamento.

Para o Plano de Agricultura de Baixo Carbono (Plano ABC), destinado ao financiamento de técnicas sustentáveis, o Governo Federal disporá de R$ 2,5 bilhões, com taxa de juros de 4,5% e 6% a.a. Os produtores terão à disposição recursos para restauração florestal, objetivando contribuir com a adequação das propriedades rurais ao Código Florestal ou às outras exigências ambientais. A partir de 1º de julho de 2020, os produtores poderão financiar aquisição de cotas de reserva ambiental, medida aprovada pelo Conselho Monetário Nacional.

Veja o Plano Safra 2020/2021 completo clicando aqui.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Destino da Terra e causas das misérias humanas'

“Admira-se de encontrar sobre a Terra tanta maldade e más paixões, tantas misérias e enfermidades de toda a sorte, concluindo-se quão deplorável é a espécie...

 
 
 
 
Sitevip Internet