Notícias / Justiça

24/05/20 às 08:08

STF suspende verba indenizatória para conselheiros do TCE-MT e secretários estaduais

A lei de autoria do TCE e que foi modificada pela ALMT para ampliar a concessão do benefício a membros do Executivo foi sancionada pelo governador em março.

G1 / MT Rede Globo

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
STF suspende verba indenizatória para conselheiros do TCE-MT e secretários estaduais

O ministro Marco Aurélio Mello, relator da ADI, votou pela suspensão da verba indenizatória e ministros seguiram o voto dele

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o pagamento de verba indenizatória para aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), secretários estaduais, secretários adjuntos, procurador -geral do estado e presidentes de autarquias e fundações. O julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) foi nessa quinta-feira (21).
 
Os ministros seguiram o voto do relator Marco Aurélio de Mello pela inconstitucionalidade da lei, que foi sancionada pelo governador Mauro Mendes (DEM), em março deste ano.
 
"Sob o ângulo material, a natureza indenizatória, típica das diárias e ajudas de custo, não pode servir à burla da fórmula constitucional do subsídio", diz o magistrado, no voto.
 
A assessoria jurídica da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (PGR) informou que vai analisar a decisão e que respeita o posicionamento do STF. Já o TCE diz que só vai se manifestar no processo. O governo ainda não se manifestou.
 
Na ação, a Procuradoria Geral da República (PGR) havia pedido urgência na análise do pedido ao argumentar que a demora poderia causar difícil reparação os danos ocasionados aos cofres do estado, "com o pagamento de verba inconstitucional e do quadro de grave crise financeira, cujo deficit orçamentário previsto para 2020 é de R$ 572,41 milhões,12 agravado pela incerteza fiscal ocasionada pela pandemia da Covid-19 em todos os estados da Federação".
 
Antes eram só os deputados estaduais e chefes de gabinete que recebiam o benefício. São R$ 65 mil para os parlamentares, a maior verba indenizatória do país.
 
Depois, com esse projeto de autoria do TCE, o benefício foi expandido para conselheiros do TCE, 16 secretários estaduais, 60 secretários adjuntos, além de chefes de autarquias e fundações, procuradores do estado e do Ministério Público de Contas. O impacto nas contas do estado pode chegar a R$ 35 milhões por ano, com a concessão da verba indenizatória.
 
Segundo o TCE, o projeto regulamenta a verba, que era paga até novembro do ano passado e foi suspensa por determinação judicial. O valor pago antes era de R$ 23 mil.
 
Conselheiros do TCE já recebem série de benefícios, além do salário de R$ 39,2 mil — Foto: TCE-MT
Conselheiros do TCE já recebem série de benefícios, além do salário de R$ 39,2 mil — Foto: TCE-MT
 
O cargo de conselheiro é vitalício e tem vários benefícios. Além do salário de R$ 39,2 mil, cada um dos sete conselheiros recebe gratificação de R$ 3,2 mil, auxílio-moradia no valor de R$ 4,3 mil, auxílio livro no valor de R$ 39,2 mil, duas vezes por ano, e verba indenizatória de R$ 23 mil.
 
A lei dá direito a verba indenizatória aos conselheiros, procuradores de contas e os auditores substitutos de conselheiro.
 
O Observatório Social chegou a entregar à Assembleia Legislativa um ofício pedindo aos deputados que votem contra o projeto de lei que regulamenta a verba indenizatória paga aos conselheiros do TCE.
 
De acordo com a presidente da entidade, Elda Valim, o restabelecimento da verba é ilegal e inconstitucional. O ofício aos deputados foi protocolado no gabinete de cada um dos 24 parlamentares.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Destino da Terra e causas das misérias humanas'

“Admira-se de encontrar sobre a Terra tanta maldade e más paixões, tantas misérias e enfermidades de toda a sorte, concluindo-se quão deplorável é a espécie...

 
 
 
 
Sitevip Internet