Notícias / Meio Ambiente

15/05/20 às 16:13

Codevasf fará repovoamento de peixes no rio Araguaia em parceira com a UFG

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Codevasf fará repovoamento de peixes no rio Araguaia em parceira com a UFG

Foto: Assessoria

O rio Araguaia será beneficiado com um projeto para repovoamento de suas águas com peixes nativos, por meio de parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e a Universidade Federal de Goiás (UFG). Na ação, será aplicada a tecnologia de reprodução de alevinos utilizada nos Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf. O trabalho é pioneiro na região. 

A estruturação das ações começa já neste ano com a compra dos materiais. Serão investidos R$ 500 mil por meio de emenda parlamentar. Os recursos serão aplicados na aquisição de insumos, equipamentos e infraestrutura na UFG, Escola de Veterinária e Zootecnia, Setor de Aquicultura.

“Mais uma vez a parceria entre entes públicos cria uma sinergia produtiva. Juntamos a sensibilidade do parlamentar que nos visitou na sede da empresa para conhecer a nossa expertise e decidiu fomentar o projeto; a receptividade do centro de piscicultura da UFG e da professora Fernanda Gomes de Paula, que entendeu a importância da transferência de tecnologia a ser feita; e a competência de nossos técnicos, que visitaram o local e estão estruturando o projeto. O resultado desse empreendimento trará inúmeros benefícios para os cidadãos e para a natureza”, afirma Fábio Miranda, diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf.

Transferência de tecnologia

O engenheiro de pesca Hermano Luiz dos Santos, chefe da Unidade de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf e um dos responsáveis pelo projeto, informa que a proposta inicial é capturar matrizes e reprodutores no Araguaia para serem submetidos à reprodução induzida e obtenção de juvenis para retornarem ao rio, em época e local adequados. O repovoamento será realizado somente com espécies nativas da bacia do Araguaia, cujo protocolo de reprodução induzida em cativeiro esteja definido. A reprodução será feita na estação de piscicultura da UFG.

“A Codevasf tem seis Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura na bacia do São Francisco, com grande experiência. Os técnicos de nosso centro em Três Marias, em Minas Gerais, vão à UFG fazer uma capacitação e transferência de tecnologia para os professores e alunos envolvidos no projeto”, afirma Hermano Santos.

À medida em que o projeto for avançando, pretende-se aproveitar a estrutura e os recursos para validar protocolos de indução da reprodução de outras espécies nativas com o intuito de expandir a proposta de conservação. No futuro, a perspectiva da Codevasf/UFG é contar com novos parceiros nessas ações. 

Educação ambiental

A situação atual do rio, em termos de oferta de peixes, justifica uma ação dessa natureza. De acordo com a professora doutora Fernanda Gomes de Paula, do Departamento de Zootecnica, da UFG, os ribeirinhos e pescadores têm relatado crescentes alterações, quantitativas e qualitativas na ictiofauna do rio Araguaia. “Vários trabalhos científicos têm relatado a importância de melhor caracterização da ictiofauna e ambiental em determinada bacia hidrográfica, como forma de balizar trabalhos de recomposição. Assim, o projeto vem para realizar diagnóstico no rio Araguaia para direcionar ações de educação ambiental e repovoamento, com o intuito de contribuir para a melhoria da diversidade de peixes local”, explica.

Segundo Fernanda de Paula, a ação de conscientização da população será de extrema importância no processo de conservação das matas ciliares, realização de pesca responsável e qualidade da água ao evitar a liberação de esgoto urbano no rio Araguaia. “Nas últimas décadas, tem sido notado em muitos trechos do rio Araguaia a redução da mata ciliar para implantação e/ou aumento de áreas de urbanização e atividades agropecuárias. Os distúrbios originados pela ação humana, como o desmatamento, poluição e pesca excessiva, influenciam a quantidade de peixes e a disponibilidade de habitats para eles”, enfatiza.

Codevasf no Araguaia

A região hidrográfica dos rios Tocantins-Araguaia foi incluída na área de atuação da Codevasf por meio da Lei nº 13.702, de 6 de agosto de 2018. A Companhia é uma empresa pública, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, que tem a missão de desenvolver bacias hidrográficas de forma integrada e sustentável, contribuindo para a redução das desigualdades regionais. Na sua área de atuação, a Companhia promove ações de revitalização de bacias, implantação de projetos públicos de irrigação e infraestrutura hídrica, entre outras atividades.

O Araguaia nasce perto do Parque Nacional das Emas, no município de Mineiros (GO), e deságua no rio Tocantins, formando uma grande rede hidrográfica que une a região Centro-Oeste ao Norte do Brasil. Esse rio faz a divisa natural primeiro entre os estados de Mato Grosso e Goiás, depois entre Mato Grosso e Tocantins e, finalmente, entre Pará e Tocantins. Possui uma extensão de mais de 2 mil km.


Imagens ilustrativas podem ser acessadas no Flickr da Codevasf:
https://www.flickr.com/photos/169320297@N06/albums/72157713056899658
 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Pessoas de lua'

Quantas vezes nos deparamos com pessoas que podem ser colegas de trabalho ou até parentes e residentes na mesma morada que dizem: “hoje eu não estou nos meus dias”; “hoje não estou...

 

Enquete

Quem você gostaria que fosse o próximo presidente do Brasil

 
 
 
Sitevip Internet