Notícias / Meio Ambiente

15/05/20 às 16:13

Codevasf fará repovoamento de peixes no rio Araguaia em parceira com a UFG

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Codevasf fará repovoamento de peixes no rio Araguaia em parceira com a UFG

Foto: Assessoria

O rio Araguaia será beneficiado com um projeto para repovoamento de suas águas com peixes nativos, por meio de parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e a Universidade Federal de Goiás (UFG). Na ação, será aplicada a tecnologia de reprodução de alevinos utilizada nos Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf. O trabalho é pioneiro na região. 

A estruturação das ações começa já neste ano com a compra dos materiais. Serão investidos R$ 500 mil por meio de emenda parlamentar. Os recursos serão aplicados na aquisição de insumos, equipamentos e infraestrutura na UFG, Escola de Veterinária e Zootecnia, Setor de Aquicultura.

“Mais uma vez a parceria entre entes públicos cria uma sinergia produtiva. Juntamos a sensibilidade do parlamentar que nos visitou na sede da empresa para conhecer a nossa expertise e decidiu fomentar o projeto; a receptividade do centro de piscicultura da UFG e da professora Fernanda Gomes de Paula, que entendeu a importância da transferência de tecnologia a ser feita; e a competência de nossos técnicos, que visitaram o local e estão estruturando o projeto. O resultado desse empreendimento trará inúmeros benefícios para os cidadãos e para a natureza”, afirma Fábio Miranda, diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf.

Transferência de tecnologia

O engenheiro de pesca Hermano Luiz dos Santos, chefe da Unidade de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf e um dos responsáveis pelo projeto, informa que a proposta inicial é capturar matrizes e reprodutores no Araguaia para serem submetidos à reprodução induzida e obtenção de juvenis para retornarem ao rio, em época e local adequados. O repovoamento será realizado somente com espécies nativas da bacia do Araguaia, cujo protocolo de reprodução induzida em cativeiro esteja definido. A reprodução será feita na estação de piscicultura da UFG.

“A Codevasf tem seis Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura na bacia do São Francisco, com grande experiência. Os técnicos de nosso centro em Três Marias, em Minas Gerais, vão à UFG fazer uma capacitação e transferência de tecnologia para os professores e alunos envolvidos no projeto”, afirma Hermano Santos.

À medida em que o projeto for avançando, pretende-se aproveitar a estrutura e os recursos para validar protocolos de indução da reprodução de outras espécies nativas com o intuito de expandir a proposta de conservação. No futuro, a perspectiva da Codevasf/UFG é contar com novos parceiros nessas ações. 

Educação ambiental

A situação atual do rio, em termos de oferta de peixes, justifica uma ação dessa natureza. De acordo com a professora doutora Fernanda Gomes de Paula, do Departamento de Zootecnica, da UFG, os ribeirinhos e pescadores têm relatado crescentes alterações, quantitativas e qualitativas na ictiofauna do rio Araguaia. “Vários trabalhos científicos têm relatado a importância de melhor caracterização da ictiofauna e ambiental em determinada bacia hidrográfica, como forma de balizar trabalhos de recomposição. Assim, o projeto vem para realizar diagnóstico no rio Araguaia para direcionar ações de educação ambiental e repovoamento, com o intuito de contribuir para a melhoria da diversidade de peixes local”, explica.

Segundo Fernanda de Paula, a ação de conscientização da população será de extrema importância no processo de conservação das matas ciliares, realização de pesca responsável e qualidade da água ao evitar a liberação de esgoto urbano no rio Araguaia. “Nas últimas décadas, tem sido notado em muitos trechos do rio Araguaia a redução da mata ciliar para implantação e/ou aumento de áreas de urbanização e atividades agropecuárias. Os distúrbios originados pela ação humana, como o desmatamento, poluição e pesca excessiva, influenciam a quantidade de peixes e a disponibilidade de habitats para eles”, enfatiza.

Codevasf no Araguaia

A região hidrográfica dos rios Tocantins-Araguaia foi incluída na área de atuação da Codevasf por meio da Lei nº 13.702, de 6 de agosto de 2018. A Companhia é uma empresa pública, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, que tem a missão de desenvolver bacias hidrográficas de forma integrada e sustentável, contribuindo para a redução das desigualdades regionais. Na sua área de atuação, a Companhia promove ações de revitalização de bacias, implantação de projetos públicos de irrigação e infraestrutura hídrica, entre outras atividades.

O Araguaia nasce perto do Parque Nacional das Emas, no município de Mineiros (GO), e deságua no rio Tocantins, formando uma grande rede hidrográfica que une a região Centro-Oeste ao Norte do Brasil. Esse rio faz a divisa natural primeiro entre os estados de Mato Grosso e Goiás, depois entre Mato Grosso e Tocantins e, finalmente, entre Pará e Tocantins. Possui uma extensão de mais de 2 mil km.


Imagens ilustrativas podem ser acessadas no Flickr da Codevasf:
https://www.flickr.com/photos/169320297@N06/albums/72157713056899658
 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
Sitevip Internet