Notícias / Justiça

24/04/20 às 21:18 / Atualizada: 24/04/20 às 21:23

Ministério da Justiça - Lideranças manifestam-se em relação à saída de Sérgio Moro

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Ministério da Justiça - Lideranças manifestam-se em relação à saída de Sérgio Moro

Foto: Assessoria

Representantes de várias instituições manifestaram-se, no final da manhã desta sexta-feira (24), em relação à saída do ex-juiz federal Sérgio Moro do Ministério da Justiça. Em Mato Grosso, o procurador-geral de Justiça José Antônio Borges Pereira falou sobre o assunto.

“Vejo com muita preocupação. Num momento em que enfrentamos uma grande pandemia, em uma semana tivemos a demissão do ministro da Saúde, que hoje é a área mais sensível, e agora do nosso ministro da Justiça, Sérgio Moro, seja por ele ser uma referência, e também por se tratar de um ministério que deve ter uma abordagem e uma relação de política de Estado e não de governo, exatamente por termos ali uma coordenação da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal. Principalmente da Polícia Federal, ligada ao combate ao crime organizado e aos crimes contra o sistema financeiro nacional”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça também chamou a atenção à declaração do ex-ministro de que não estava tendo condições de trabalhar no combate ao crime organizado. “Após 22 anos atuando como juiz federal, no combate à corrupção e ao crime organizado, Moro saiu por um dos piores motivos, ou seja, porque houve uma interferência na mudança do comando da Polícia Federal”.

E acrescentou: “Faltou ao presidente da República separar a política de governo da política de Estado. O Ministério da Justiça não pode ser contaminado por interesses pessoais ou por barreiras de grupos quanto à investigação de crimes”.

O Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG) também manifestou-se sobre o assunto. Em uma Nota de Reconhecimento à atuação de Sérgio Moro, o CNPG destaca que “à frente do Ministério da Justiça e Segurança Pública e também como Juiz Federal, sempre buscou prestigiar e fortalecer a independência do Ministério Público dos Estados e dos demais ramos do Ministério Público da União, contribuindo  assim, para o exercício de uma missão constitucional de defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis”, diz a nota.

Confira a íntegra da nota do CNPG
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Pessoas de lua'

Quantas vezes nos deparamos com pessoas que podem ser colegas de trabalho ou até parentes e residentes na mesma morada que dizem: “hoje eu não estou nos meus dias”; “hoje não estou...

 
 
 
 
Sitevip Internet