Notícias / Justiça

24/04/20 às 09:16 / Atualizada: 24/04/20 às 09:21

MPF ingressa na Justiça para impedir construção de hidrelétrica na região de Barra do Garças

A ação, que visa preservar espécie de boto, é a segunda ajuizada pelo MPF

Assessoria MPF

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
MPF ingressa na Justiça para impedir construção de hidrelétrica na região de Barra do Garças

Foto: Assessoria

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública (ACP) contra a empresa Energias Complementares do Brasil Geração de Energia Elétrica (ECBrasil), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), União e contra o estado de Mato Grosso. A ação tem o objetivo de impor aos entes que se abstenham de permitir ou realizar qualquer ato tendente à instalação da UHE Boaventura, por conta dos altos impactos negativos, diretos e irreversíveis que possam vir a atingir a nova espécie de boto que habita o local, o Boto do Araguaia ou Inia Araguaiaensis, caso seja iniciada a instalação do empreendimento. É a segunda vez que o MPF ingressa com ACP, com o mesmo objetivo, na região.

A ACP é resultado do Inquérito Civil Público 1.20.004.000049/2013-15, instaurado com o objetivo de apurar a competência para o procedimento de licenciamento prévio da UHE Boaventura, os impactos em terras indígenas próximas, os danos ambientais regionais e o impacto negativo significativo (nas fases de construção, enchimento e operação) sobre a população de botos (Inia Araguaiaensis ou Inia Geoffrensis, este ameaçado de extinção).

No decorrer do inquérito constatou-se que os estudos apresentados pelo empreendedor ignoraram a existência da nova espécie de boto, o Inia Araguaiaensis (boto do Araguaia). O empreendimento, caso instalado, trará um alto impacto negativo sobre a população de botos, tanto durante a fase de construção da barragem quanto na fase de execução, fato comprovado por meio do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima).

Além disso, a nova espécie possui população e habitat menores que o Inia Geoffrensis, e poderá ser isolada e desaparecer com os empreendimentos hidrelétricos na bacia do rio Araguaia. Estima-se que a população de botos do Araguaia é de apenas cerca de 600 a mil indivíduos. Em razão disso, os próprios estudos publicados sobre a espécie alertam que o Boto do Araguaia já nasceu ameaçado de extinção.

Diante disso, o MPF aguarda o julgamento procedente da ACP para que os requeridos se abstenham de promover a instalação da UHE Boaventura, sob pena de imposição de multa no valor de R$ 1 milhão pelo descumprimento da sentença, e multa diária no valor de R$ 50 mil.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Cirurgias espirituais. Curas.

É comum por ocasião dos aniversários desejarmos coisas boas e entre os desejos o que nunca falta é a manifestação de saúde. Isso acontece em razão de ser um fato primordial para todos...

 
 
 
 
Sitevip Internet