Notícias / Educação

21/04/20 às 08:57

Juara - Professora de escola estadual tem projeto contemplado por programa do Greenpeace

A professora figura como a única representante do Estado de Mato Grosso entre os 18 trabalhos aprovados no país

Rosane Brandão | Seduc-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Juara - Professora de escola estadual tem projeto contemplado por programa do Greenpeace

Professora Fabiana durante sua pesquisa

Foto: Divulgação

O projeto de pesquisa da bióloga e professora Fabiana Aparecida Rego Ciecoski, da Escola Estadual Luíza Nunes Bezerra, localizada no município de Juara (MT) foi contemplado pelo Programa de Incentivo à Pesquisa e Conservação da Biodiversidade na Amazônia, lançado pelo Greenpeace Brasil. A professora figura como a única representante do Estado de Mato Grosso entre os 18 trabalhos aprovados no país.

Sua pesquisa está fundamentada em um levantamento taxonômico da diversidade de fungos liquenizados presentes em diferentes áreas da Amazônia mato-grossense.

Ao todo, foram inscritos 147 projetos em todo o país. Estes projetos foram avaliados por um comitê de seleção composto por 11 pesquisadores, coordenados por Erika Berenguer, da Universidades de Oxford e Lancaster, no Reino Unido, e Fabricius Domingos, da Universidade Federal do Paraná. A seleção seguiu critérios como viabilidade, originalidade e relevância.

Fabiana Ciecoski é efetiva da rede estadual de ensino e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Câmpus Sinop.

Segundo a educadora, sua pesquisa está conectada às práticas de metodologias ativas para o ensino da educação ambiental, por meio de investigações científicas que podem ser protagonizadas pelo aluno através da mediação docente.




Em sua pesquisa, Fabiana conta com a orientação da micologista e taxonomista de fungos, doutora Flávia Rodrigues Barbosa, professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da UFMT-Sinop. Conta ainda com a coorientação do doutor Adriano Afonso Spielmann, liquenologista e professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), onde desenvolve pesquisa em Liquens com trabalhos de levantamento, flora e revisões taxonômicas no Brasil e Antártica. Além disso, tem o apoio de assistência técnica de liquenologistas renomados no Brasil e fora.

A EE Luíza Nunes Bezerra tem tradição em projetos voltados à educação ambiental. Segundo a diretora da escola, Rosana Maria Cristófolo, o trabalho desenvolvido pela professora Fabiana contribui com a metodologia ativa da escola e atende os reais necessidade dos alunos.

“Trata-se do desenvolvimento de concepções e práticas educativas que contribuem para o desenvolvimento das diversas competências de nossos alunos e, consequentemente, para o protagonismo dos mesmos. Acreditamos que esta pesquisa fortalecerá ainda mais este trabalho em prol de investigações e cuidados científicos sobre a educação ambiental”, avalia a diretora.

Programa

O programa de incentivo à pesquisa de biodiversidade da Amazônia está ligado ao projeto Protegendo o Desconhecido, lançado em 2020 pelo Greenpeace Brasil e que tem por objetivo mostrar a importância da pesquisa científica.

O programa recebeu o nome de “Tatiana de Carvalho de Pesquisa e Conservação da Amazônia” e é destinado à concessão de bolsas de mestrado e apoio a projetos ligados a programas de pós-graduação de instituições públicas de ensino e pesquisa na Amazônia, nas áreas de Botânica e Zoologia.

Tem como objetivo incentivar estudos sobre novas espécies da biodiversidade amazônica através do apoio a pesquisadores brasileiros na identificação e descrição de novas espécies. Contribui com a conservação do bioma e assegura os serviços ecológicos que ele proporciona como o equilíbrio climático regional e global e, na bioprospecção, a cura para diversas doenças. 

O programa conta com um investimento de R$ 438 mil para pesquisas nas áreas de botânica e zoologia.
Imprimir Enviar para um amigo
 
 

veja maisArtigos

Ronivaldo Lemos

Médico todo dia

Muito cedo eu tomei a decisão de ser médico. Estudei muito para entrar na Universidade Federal de Mato Grosso e me esforcei igualmente para me formar. Ali, nos corredores do Hospital Universitário, eu reafirmava todos os dias a...

 
 
 
 
Sitevip Internet