Notícias / Justiça

28/03/20 às 18:33

MPF garante distribuição de duas mil cestas básicas aos Xavantes em Mato Grosso

Objetivo é proteger a segurança alimentar dos indígenas e evitar que se desloquem para as cidades no período de pandemia do coronavírus

Assessoria MPF

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
MPF garante distribuição de duas mil cestas básicas aos Xavantes em Mato Grosso

Foto: Ascom

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria da República em Barra do Garças (MT), garantiu a distribuição de duas mil cestas básicas mensais, enquanto perdurar as medidas de prevenção ao coronavírus, ao povo indígena A’uwe Uptábi (Xavante), em Mato Grosso. O pedido de liminar, em tutela de urgência, foi deferido pela Justiça Federal na manhã desta sexta-feira (27). A ação civil pública foi movida contra a União e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O povo indígena A’uwe Uptábi (Xavante) tem mais de 22 mil indivíduos, sendo 778 indígenas com mais de sessenta anos, 1195 hipertensos, 910 diabéticos, 20 tuberculosos, além de 310 gestantes e 195 deficientes, distribuídos em 329 aldeias.

No requerimento, além de pedir a distribuição das cestas básicas até o dia 5 de cada mês, o MPF também solicitou que a distribuição seja acompanhada pelas forças armadas, com o objetivo de conscientizar as comunidades da gravidade da pandemia, em razão da afinidade simbólica e a confiança que a instituição transmite à população indígena. As ações deverão ser acompanhadas por representantes da Coordenação Regional da Fundação Nacional do Índio (Funai), responsável pelo povo A’uwe Uptábi.

De acordo com o procurador da República Everton Pereira Aguiar Araújo, a preocupação com a situação dos povos indígenas em relação ao coronavírus tomou maior dimensão após o recebimento de um memorando enviado pela Coordenação Regional Xavante do Serviço de Promoção dos Direitos Sociais e Cidadania (Sedisc), no qual a Funai apresentou preocupante cenário em relação ao povo. “Há uma grande preocupação com a iminente crise humanitária que deve se deflagrar sobre esse segmento da população brasileira nos próximos meses, a qual pode ser apenas minimizada se medidas emergenciais forem adotadas, não apenas no sentido de conscientizar a necessidade de higiene e isolamento social dos indígenas, mas de apoio positivo no sentido de dar condições de permanência dos indígenas nas aldeias”.

Outro motivo de preocupação do MPF em relação aos indígenas frente a pandemia do coronavírus é que os membros da etnia Xavante não tem plena convicção da situação em que se encontram. Com isso, a Funai Xavante em Barra do Garças gravou um vídeo com orientações para os membros do povo.

O procurador da República Everton Araújo também gravou um vídeo, que foi encaminhado para as Coordenações Regionais da Funai, dos Dseis e lideranças indígenas da região, no qual solicita o apoio e a colaboração dos povos indígenas no enfrentamento ao coronavírus.

Recomendação - O MPF também recomendou a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) que sejam adotadas todas as providências relacionadas ao coronavírus preconizadas pelo Ministério da Saúde, especialmente (sem prejuízo de outras ações) em elaborar e implementar um plano de contingência para a população indígena Xavante, com o apoio do Ministério da Defesa. O plano deve prever, ao menos, protocolos para definição de casos suspeitos e de notificação para casos suspeitos, prováveis e confirmados; medidas de prevenção e controle; orientações quanto ao uso de equipamentos de proteção individual e coletivo; orientação sobre a higiene adequada das mãos; protocolos para isolamento; capacitação dos profissionais de saúde; limpeza e desinfecção de superfícies; processamento de roupas; tratamento de resíduos; protocolo para coleta de material para exame específico e fluxo das amostras; insumos e medicamentos necessários e transporte sanitário.

A Sesai também deverá, junto com o Ministério da Defesa, desenvolver uma estrutura para a realização de quarentena nas aldeias e ampliação da equipe de área do Dsei-Xavante, assim que forem identificadas as primeiras contaminações.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Não temos para onde fugir

            Neste momento de dificuldade que estamos todos passando e que o maior atingido na insegurança é o rico, pois que este além de sentir o pavor eminente da tristeza...

 
 
 
 
Sitevip Internet