Notícias / Justiça

23/03/20 às 21:12

MPF consegue na Justiça Federal a destinação de recursos para o combate ao coronavírus aos indígenas de MT

Recursos recuperados por meio da Operação Ararath serão destinados ao Distrito Sanitário Especial Indígena Kaiapó para compra de materiais

Assessoria

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
MPF consegue na Justiça Federal a destinação de recursos para o combate ao coronavírus aos indígenas de MT

Foto: Assessoria

O Ministério Público Federal (MPF) conseguiu, junto à Justiça Federal em Mato Grosso, que parte dos recursos recuperados pela Operação Ararath seja destinada ao Distrito Sanitário Especial Indígena Kaiapó (Dsei/Kaiapó) para o combate ao coronavírus junto aos indígenas no estado. Ao todo serão destinados R$ 57,7 mil para aquisição de matérias médico hospitalares e necessários para ações educativas. O Dsei/Kaiapó é responsável pelas atividades de atenção básica à saúde dos povos indígenas, organizado em três Casas de Apoio à Saúde Indígena (Casai), três Polos Base, e 30 Unidades Básicas de Saúde Indígena (Ubsis), sendo referência para 12 Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI). Onze etnias distintas em oito municípios de Mato Grosso e Pará recebem assistência do Dsei/Kaiapo, atendendo um total de 4.994 indígenas em 53 aldeias.

Para chegar ao valor a ser direcionado para os indígenas, o MPF entrou em contato com o Dsei/Kaiapó para saber quais eram as necessidades neste momento de pandemia causada pelo novo coronavírus. O Dsei apresentou uma lista com os materiais médicos hospitalares e para a realização de ações educativas e atender às demandas de prevenção e tratamento. De acordo com o MPF, os indígenas precisam ser pensados como um grupo de extrema vulnerabilidade e que necessita de atenção diferenciada, principalmente no que diz respeito ao diagnóstico. Devido “às particularidades que envolvem os indígenas no enfrentamento desta pandemia, é mister salientar que seus modos de vida tradicionais, muitas vezes, envolvem o convívio familiar e comunitário extremamente intenso, de modo que as medidas de isolamento perdem muito sua eficácia. Noutros termos, orientar uma família indígena que permaneça em casa a fim de evitar aglomerações, a depender da etnia pode significar um ‘isolamento social’ de um grupo de 30 a 60 pessoas”.

Em consonância com o pedido feito pelo MPF, o juiz federal da 7ª Vara em substituição na 5ª Vara/MT, Paulo Cézar Alves Sodré, definiu pela liberação do recurso ao DSEI/Kaiapó. Com a decisão judicial, será aberta uma conta judicial onde será depositado o valor para que o Distrito Sanitário inicie o processo de aquisição dos equipamentos e medicamentos solicitados. A partir de então, a Coordenação do Dsei deverá prestar contas dos gastos, apresentando nota fiscal dos produtos adquiridos, recebimento e atesto de entrega do produto/material, imagem do produto recebido, registro de tombo do produto (inserção no patrimônio da unidade hospitalar) e indicação da conta bancária do fornecedor do produto para que seja realizada a transferência judicial.

Além disso, a cada 30 dias, durante o prazo de seis meses, o Dsei deverá apresentar ao MPF informações quanto ao número de atendimentos realizados no escopo do projeto apresentado (prevenção e combate à pandemia da covid-19 em Mato Grosso).
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet