Notícias / Educação

14/03/20 às 12:35

Alto Araguaia - Idoso de 71 anos que sempre sonhou estudar defende TCC e espera por diploma

Keka Werneck, RDNews

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Alto Araguaia - Idoso de 71 anos que sempre sonhou estudar defende TCC e espera por diploma

Eupídio revela que adorava ler livros de literatura de cordel e se orgulha de poder estudar

Eupídio Neto de Oliveira, 72 anos, de Ponte Branca (MT), borracheiro aposentado, passou a vida inteira sendo chamado de analfabeto e ficava muito chateado com isso, porque, apesar de ter sido forçado a sair da escola para trabalhar na roça e ajudar em casa, sempre gostou muito dos livros e de se informar.

Aos 14 anos, parou de estudar. A mãe morreu de derrame muito nova, aos 36 anos, e eram muitos irmãos pequenos para cuidar, a roça para zelar e os mais velhos se sacrificaram.
 
Ele conta que ela levou um susto no pasto. Mais do que isso, ele não sabe bem o que aconteceu.

O tempo passou e ele foi trabalhando na roça, de borracheiro e outros ofícios braçais. Filho de garimpeiro, também se aventurou na mineração de ouro.

Mesmo a mãe sendo dona de casa e o pai garimpeiro, ambos analfabetos, eles incentivavam os filhos a mudar o rumo das coisas e a estudar. Sendo assim, todos os irmãos de Eupídio fizeram isso, menos ele. "Boa parte tornou-se professor", orgulha-se.

 
 
Enquanto isso, ele se virava na vida só com o ensino primário. Por já ter feito até a 4ª série, que ele rebatia todos que o chamavam de analfabeto. "Não sou!" - respondia.

Nas horas vagas, pegava livros de literatura de cordel, tais como Lampião e Pavão Misterioso, e se encantava com as histórias. "Meu pai era nordestino e me ensinou a amar cordel".

Em 1975, Eupídio perdeu totalmente a visão de um olho em um acidente na lavoura e já no outro tem apenas 30% de capacidade visual. Mesmo assim, queria ler e aprender. 

O tempo passou ainda mais e ele começou a sentir os limites da idade.  Diabetes e pressão alta foram chegando. Foi aí que ele pensou que era agora ou nunca que realizaria seu sonho: estudar, se formar, fazer até uma faculdade.

A história de Eupídio é uma dessas que ensinam à gente que nunca é tarde para correr atrás dos sonhos. Ele fez Ensino Fundamental e Médio, em Ponte Branca, pelo EJA, que é o programa de Educação de Jovens e Adultos, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). E, depois disso, resolveu ir para faculdade. Fez Enem, tirou uma nota boa. Pegou a mulher e seus pertences, deixou a casa para trás, e se mudou para Alto Araguaia, onde tem campus da Unemat.

Ele e a esposa moram em Alto Araguaia e ele acaba de defender seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Agora ainda faltam algumas disciplinas para pegar o diploma de Letras Língua Portuguesa.

Na sala de aula, afirma que é querido e respeitado pelos colegas. Não falta aula, faça chuva, faça sol. Anda 1 km e meio a pé para chegar à Unemat e, muitas vezes, no escuro. 

Depois que se formar, quer trabalhar em escola, ensinando Língua Portuguesa, de preferência a idosos ou crianças. Aí vai melhorar o orçamento familiar, somando com a aposentadoria que lhe rende 1 salário mínimo.


Eupídio Neto posa com a esposa e professores da Unemat no dia da defesa do seu TCC
 
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - 'Destino da Terra e causas das misérias humanas'

“Admira-se de encontrar sobre a Terra tanta maldade e más paixões, tantas misérias e enfermidades de toda a sorte, concluindo-se quão deplorável é a espécie...

 
 
 
 
Sitevip Internet