Notícias / Governo de MT

05/03/20 às 15:50

Plano prevê R$ 64 milhões para zerar desmatamento ilegal em 2020

Pilar central do plano é garantir que não haja impunidade em relação aos crimes ambientais

Juliana Carvalho | Sema-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Plano prevê R$ 64 milhões para zerar desmatamento ilegal em 2020

Plano de combate a crimes contra flora está estruturado em seis frentes: planejamento e gestão, monitoramento, fiscalização, responsabilização, prevenção e combate a incêndios florestais e comunicação

Foto: Christiano Antonucci

O Governo do Estado lançou nesta quinta-feira (05.03) o Plano de Ação de Combate ao Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais 2020. O plano prevê a aplicação de R$ 64 milhões em seis frentes de atuação: planejamento e gestão, monitoramento, fiscalização, responsabilização, prevenção e combate aos incêndios florestais, e comunicação. Os recursos virão de três fontes: R$ 42 milhões oriundos do fundo de recuperação da Operação Lava Jato e o restante será dividido entre orçamento próprio do Governo de Mato Grosso e aportes do Programa REDD+ para Pioneiros.

O plano foi lançado durante a primeira reunião do Comitê Estratégico para o Combate do Desmatamento Ilegal, a Exploração Florestal Ilegal e aos Incêndios Florestais (CEDIF-MT). Presidido pelo governador Mauro Mendes, o grupo irá integrar as ações realizadas para coibir os crimes contra flora no Estado e foi instituído por meio do decreto n 390/2020 publicado hoje em no Diário Oficial.

De acordo com Mauro Mendes, o pilar central do plano, que inclui diversas ações de comando e controle, é assegurar que não haja impunidade em relação aos crimes ambientais. O chefe do executivo estadual foi enfático: “Alerto aos cidadãos mato-grossenses que não apostem na impunidade, que não apostem que o Estado será ineficiente e por isso poderá praticar atos ilegais relacionados ao desmatamento, por que isso não vai ficar impune”.




Em consonância com o governador, a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, destacou que será empregada uma força-tarefa para eliminar todo o passivo de processos de multas que aguardam julgamento dentro da secretaria. Nessa frente, que está incluída no ciclo da responsabilização pela infração ambiental, serão aplicados R$ 2,6 milhões para incremento de mão de obra e desenvolvimento de sistemas para que haja celeridade no andamento dos processos.

“Estamos colocando em ação um plano que é o maior e mais ousado dos últimos dez anos. Tudo isso é fruto do amadurecimento das ações já realizadas pela Secretaria por meio do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Incêndios Florestais, que já está em sua terceira fase”, explicou Mauren. Para a gestora, as ações estão sendo empregadas para coibir atos que são prejudiciais tanto para o meio ambiente, quanto para o desenvolvimento social e econômico de Mato Grosso.




Para ações de fiscalização está previsto o emprego de cerca de R$ 30 milhões, já para monitoramento, serão empregados R$ 18 milhões, enquanto R$ 9 milhões serão destinados para ações de combate a incêndios florestais. “Com os novos recursos aportados, poderemos implementar novas ações, adquirir insumos e implementar projetos que já haviam sido planejadas em outros anos, mas não foram executadas por falta de orçamento”, pontou o secretário adjunto Executivo da Sema, Alex Marega.

Dentre as ações prevista para melhorar a presença do Estado no interior está a manutenção de dez equipes em campo, a digitalização das redes de rádiocoumunicação da Secretaria de Segurança Pública no Noroeste do Estado e a utilização dos centros de comando e controle móveis para ações integradas de fiscalização e controle do desmatamento ilegal e incêndios florestais.

“Vamos resgatar os ônibus que funcionam como centros de Comando e Controle adquiridos para a Copa do Mundo e utilizá-los para dar apoio às equipes que realizarão as incursões em campos nas ações de combate aos crimes ambientais”, destacou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

O grupo liderado pelo governador reúne a Casa Civil, Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto de Defesa Agropecuária (Indea). Durante a primeira reunião, o governador Mauro Mendes convidou para participar do Comitê o Ibama, ICMBio, Incra, Forças Armadas e os ministérios Público Federal e Estadual.

Para o representante das Forças Armadas em Mato Grosso, o General de Brigada Reinaldo Salgado, o plano lançado pelo Estado é importante não só para Mato Grosso, mas para o país. “Mato Grosso abriga a selva, o Cerrado e o Pantanal e somos apoiadores nessa missão de proteger nossa flora, fauna e recursos hídricos”.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet