Notícias / Agricultura

29/02/20 às 10:41 / Atualizada: 04/03/20 às 10:52

Colheita parada: chuvas encharcam lavouras e máquinas atolam no campo em MT

Agricultores relatam transtornos causados pelo excesso de umidade; em algumas regiões do estado o andamento dos trabalhos está comprometido

Canal Rural

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Colheita parada: chuvas encharcam lavouras e máquinas atolam no campo em MT

Foto: Canal Rural

A sequência de chuvas tem dificultado a colheita da soja em algumas regiões de Mato Grosso. Lavouras estão encharcadas e os casos envolvendo o atoleiro de máquinas no campo começam a se tornar frequentes. Foi o que aconteceu na Fazenda Negrinho do Pastoreio, em Canarana. A colheitadeira ficou parcialmente enterrada, gerando transtornos e preocupação extra para o agricultor Anderson Matte. Dos 2000 hectares cultivados, ele conseguiu colher apenas 45% até aqui.

Na Fazenda Sapezal, também em Canarana, o agricultor Cleber Henrique vive situação semelhante. Dos 950 hectares de soja, 500 ainda não foram colhidos. Por lá, também houve atoleiros no campo. Aleém de uma colheitadeiras, tratores e um pulverizador também ficaram “afundados” na terra úmida.

Em São José do Rio Claro, no médio-norte do estado, a chuva também tem tirado o sono dos agricultores. Na Fazenda Bertamoni, a lavoura amanheceu encharcada nesta sexta-feira, 28. Sem condições de colheita, o maquinário tá parado no campo. Dos mil hectares de soja, 300 hectares ainda não foram colhidos…



O tempo úmido tem mantido as máquinas paradas na Fazenda Helena, em Juscimeira – na região sudeste. O agricultor Oswaldo Pasqualotto até reforçou o maquinário para tentar aproveitar os momentos de sol… mas os trabalhos seguem atrasados. Pelo cronograma da propriedade, 80% dos 3500 hectares já deveriam estar colhidos. Só que até agora, as máquinas colheram apenas 50% da lavoura.



Já em Sorriso, principal município produtor de soja do Brasil, a colheita já terminou segundo o Sindicato Rural. O desempenho foi satisfatório em muitas propriedades. Na Fazenda Santa Ernestina, por exemplo, a produtividade média ficou em 67 sacas por hectare, duas a mais que no ano passado. Agora o foco é na lavoura de milho, que já está 100% plantada e com um bom desenvolvimento até aqui.

Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet