Notícias / Educação

09/11/15 às 19:20 / Atualizada: 09/11/15 às 19:26

PEC inicia privatização da UFMT

Trabalhadores cobram deputados para barrar PEC que inicia privatização da UFMT

Daniel Dino

SINTUF-MT

Imprimir Enviar para um amigo
Os Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação da UFMT vão intensificar as ações de mobilização contra a aprovação da PEC 395/14, que inicia com o processo de privatização das universidades públicas brasileiras. A decisão foi realizada pela direção do sindicato após um debate realizado nesta segunda-feira (09.11) na sede da Associação dos Docentes da UFMT, que contou com a presença do deputado Federal, Ságuas Moraes.

“A nossa federação nacional, Fasubra, está engajada nesta luta. Vamos reverter a votação de primeira instância e barrar a aprovação desta PEC que abre as portas das universidades para o processo de privatização. Cobrar mensalidades dos alunos de pós-graduação, mestrado e doutorado é um gigantesco passo para o fim da universidade pública no Brasil”, destacou a coordenadora financeira do Sintuf-MT, Elisete Hurtado.

Segundo o deputado Ságuas Moraes, que votou contrário ao projeto, as entidades de representação popular devem estar unidas e atentas a este ataque. Ele destacou o papel de transformação social que a universidade pública desempenha e, de certa forma, justificou a aprovação em primeira votação da PEC 395/14 por seus colegas, segundo ele, por desatenção. A PEC teria sido colocada para apreciação dos parlamentares em regime de urgência, fazendo com que a maioria dos deputados votassem pela aprovação sem saber o real conteúdo do projeto.

Dos oito deputados da bancada mato-grossense, seis votaram a favor da PEC em primeiro turno (Clique aqui para ver como votou cada deputado). O debate foi organizado pelo Comitê em Defesa da Educação Pública e Gratuita, formado pelo Sintuf/MT, Adufmat, DCE/UFMT, APG/UFMT, Adunemat, Sinasefe/MT, SesdifMT, Sintrae/MT, Fitrae MT/MS.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet