Notícias / Agricultura

16/01/20 às 08:25

Soja despenca após fim da Guerra Comercial

A grande incerteza sobre as compras chinesas é a iminente entrada da safra brasileira

Agrolink -Leonardo Gottems

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Soja despenca após fim da Guerra Comercial

Foto: Nadia Borges

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na quarta-feira (15.01) baixas de 13,50 pontos no contrato de Março/20, fechando em US$ 9,2875 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações entre 12,75 e 13,50 pontos.
 
 
Os principais contratos futuros caíram forte no mercado norte-americano da soja após a assinatura da Fase 1 do acordo comercial que pôs fim à Guerra Comercial entre Estados Unidos e China. “Apesar de a China ter confirmado a compra de US$ 40 bilhões anuais em produtos agrícolas americanos o mercado mostrou-se desconcertado. Não foram divulgados detalhes sobre o volume de cada produto constante no contrato. Aguarda-se que as vendas aconteçam. A grande incerteza sobre as compras chinesas de produtos americanos é a iminente entrada da janela de exportação da safra brasileira, que gera incerteza, já que a China poderá originar matéria-prima do Brasil”, apontam os analistas da T&F Consultoria Agroeconômica.
 
 
De acordo com a ARC Mercosul, pouco mudou para o setor agrícola mundial: “Assim como estamos alertando desde o fim de novembro, a reconciliação parcial entre Trump e Jinping não traria impactos significantes para as commodities agrícolas, principalmente a soja. O ‘acordo comercial’ prevê com que os chineses adicionem um volume de US$12,5 bilhões em produtos variados do setor agrícola estadunidense, ao longo de 2020”.
 
 
Entretanto, a ARC lembra que há produtos de maior importância e necessidade do que a soja norte-americana para os chineses. Principalmente partindo do fato que a “oleaginosa para exportação brasileira continua sendo mais barata que as ofertas no Golfo dos EUA, mesmo pressupondo a isenção tarifária de 25% da China sobre o produto estadunidense. No curto-prazo, todo o mercado mundial da soja irá sangrar com as quedas em Chicago, entretanto o mercado brasileiro tende a se estabilizar ese manter correlacionado com as variações do Dólar nestas próximas semanas”, concluem os analistas.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet