Notícias / Educação

12/11/19 às 17:57

Com a ajuda dos alunos, escola do campo constrói mesas de tênis em Colniza

A empolgação pelas mesas de tênis, foi tanta que os alunos construíram 10 de uma vez. A próxima etapa é fazer 20 mesas, até o final do próximo ano, uma para cada sala anexa.

Adilson Rosa / Seduc-MT

com redação

Imprimir Enviar para um amigo
Com a ajuda dos alunos, escola do campo constrói mesas de tênis em Colniza

Foto: Divulgação

Com a ajuda da comunidade escolar, alunos e profissionais da educação da Escola Estadual do Campo Pedro Borges, localizada no município de Colniza (a 1.065 quilômetros a noroeste da capital), construíram 10 mesas para tênis de mesa para a sede da escola e também para as 22 salas anexas. Isso só foi possível graças ao “Projeto Tênis de Mesa na Escola”, uma parceria entre a escola e o comércio local, que doou pedaços de compensados que seriam descartados.

Segundo o diretor Fábio Marcelo, que é professor de educação física, com a ajuda do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE), foi possível comprar a tinta, rede, raquetes e bolas para deixar as mesas prontas para uso.

A próxima etapa seria contar com a colaboração dos alunos para a fabricação das mesas. Prontamente, os estudantes ajudaram na confecção das mesas. “Ao ajudar na fabricação, os alunos valorizam mais o equipamento, são mais cuidadosos e descobrem que se trata de um bem coletivo”, assinala o diretor.

A empolgação pelas mesas foi tanta que os alunos construíram 10 de uma vez. A próxima etapa é fazer 20 mesas, até o final do próximo ano, uma para cada sala anexa.

O estudante Wagner Soares, um dos melhores mesatenistas da escola, diz que agora praticar o esporte traz mais motivação. "É um esporte para todos", define.
Localizada a 30 quilômetros da cidade, A EE Pedro Borges possui 22 salas anexas, algumas a cerca de 100 quilômetros da sede da unidade escolar. Com isso, os alunos têm poucas áreas de lazer. Pensando nisso, o diretor criou o Projeto de baixo custo, mas de amplo benefício.
 
Fábio Marcelo relata que ao chegar em uma sala anexa nos assentamentos que não dispõem nem de energia elétrica, os alunos o aguardam com alguma expectativa de levar uma bola para lazer.
“Quando você constrói uma mesa de tênis de mesa e os alunos começam a praticar o esporte, é visível a diferença não só deles, mas de toda a comunidade escolar. É uma socialização enriquecedora e emocionante”, finaliza.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Fernando Rizzolo

A Exclusão e o Pancadão

Uns anos atrás, escrevi um artigo sobre a repressão praticada pelos seguranças dentro dos shoppings centers em São Paulo, uma vez que não permitiam que grupos de jovens da periferia, que marcavam encontros chamados...

 
 
 
 
Sitevip Internet