Notícias / Nacional

18/10/19 às 08:38

Saída de Joice da liderança do governo no Congresso mostra que PSL 'não tem identidade partidária', avalia cientista político

Para Eduardo Grinn, a mudança é consequência dos problemas estruturais do partido do presidente Jair Bolsonaro

De Brasília repórter Cintia Moreira

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Saída de Joice da liderança do governo no Congresso mostra que PSL 'não tem identidade partidária', avalia cientista político

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro decidiu retirar a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) da liderança do governo no Congresso nesta quinta-feira (17). O substituto será o senador Eduardo Gomes, do MDB do Tocantins.

Para o cientista político Eduardo Grinn, a mudança é consequência dos problemas estruturais do PSL, partido que tem a maior bancada no Congresso.

“Primeiro, um reflexo da incapacidade que o PSL tem de se sustentar mais do que uma legenda superficial, que abrigou um conjunto muito heterogêneo de lideranças políticas, sem nenhum tipo de identidade partidária, programática e ideológica, que não fosse aproveitar a oportunidade eleitoral de se eleger em um movimento que levou o Bolsonaro a ser eleito”, disse.

Além disso, o cientista político ressalta outros motivos para a saída Joice Hasselmann. De acordo com Eduardo Grinn, a saída da deputada da liderança do governo também pode ter relação com a possibilidade de disputa da prefeitura de São Paulo.

“Ela, há muito tempo, já se manifestou seu interesse em ser candidata. Então, começou a sinalizar a discussão de buscar ser candidata pelo DEM. Inclusive, ela já levando adiante a própria discussão da fusão do PSL com o DEM. Então, claramente, isso significou para o Bolsonaro uma senha clara de que a Joice não era mais aliada aos seus interesses, razão pela qual ele a destituiu do comando da liderança do governo no Congresso”, relata.

Nas redes sociais, Joice disse que deixou a liderança no Congresso com sentimento de dever cumprido. "Continuo firme no combate à corrupção e apoio o presidente Jair Bolsonaro enquanto ele realmente quiser combater a corrupção, sem jeitinho, sem flexibilizar, sem carteiradas, sem protecionismo a quem quer que seja. Se houver esse compromisso mantido com o Brasil, seguiremos juntos", escreveu a parlamentar.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Fernando Rizzolo

New Deal no Brasil

Bairro simples da periferia. O cheiro de café ainda estava pela cozinha e transpunha a sala com móveis simples, um sofá velho e uma antiga televisão que tinha em cima dela algumas xícaras, daquelas que têm o...

 

Enquete

Se a eleição para presidente tivesse Jair Bolsonaro e Sérgio Moro como candidatos, em quem você votaria?

 
 
 
Sitevip Internet