Notícias / Policial

09/10/19 às 08:27

Aripuanã - Diálogo entre polícia e garimpeiros evita prisões e protesto é pacífico

Garimpeiros protestam para continuar explorando a atividade na área, mas a lei estabelece que a lavra garimpeira precisa ser outorgada pela União

Débora Siqueira | Sesp-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Aripuanã - Diálogo entre polícia e garimpeiros evita prisões e protesto é pacífico

Operação Trype é realizada em garimpo ilegal em Aripuanã

Foto: Cioaper

No segundo dia da Operação Trype, em Aripuanã (1.200 km a Noroeste de Cuiabá), não houve ocorrência policial. A Cadeia Pública do município, que foi reativada excepcionalmente para a ação integrada entre a Polícia Federal e as forças de segurança estaduais, também não recebeu nenhum preso em decorrência da desocupação da área de garimpo ilegal.

Cerca de 1.500 garimpeiros deixaram a área ainda na segunda-feira (07.10) e na manhã desta terça-feira (08.10), houve a implosão do garimpo, conforme estabelecido em decisão judicial. O terreno está vulnerável, por isso, arriscado em caso de tentativa de invasão.

Homens e mulheres que ocupavam ilegalmente a área fizeram protesto na avenida principal de Aripuanã, mas o ato foi pacífico e teve diálogo com a Polícia Federal e a Polícia Militar. Os garimpeiros querem continuar explorando a atividade na área, mas a lei estabelece que a lavra garimpeira precisa ser outorgada pela União.

As forças de segurança estaduais vão permanecer mais algum tempo no município para reforçar o efetivo a fim de evitar aumento da criminalidade.

Morte de garimpeiro

A única ocorrência registrada durante a Operação Trype foi a morte do garimpeiro José Maria dos Santos, de 45 anos de idade, que atirou contra policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) durante a ação de varredura.

Os garimpeiros foram orientados a saírem dos barracos para uma área de triagem. Contudo, em um dos barracos, José Maria disparou tiros contra os policiais do Bope, que revidaram a agressão e acertaram dois tiros no garimpeiro.

No barraco dele foram encontradas duas espingardas cartucheiras, uma de cano longo e outra de cano curto, de calibre não identificado. Além disso, havia invólucros de pólvora, chumbo, pote com espoleta, cartuchos intactos e outros deflagrados, além de dois invólucros de quantidade não especificada de substância semelhante a ouro.

A família de José Maria, oriunda de Rondônia, reconheceu o corpo, que foi liberado na manhã desta terça-feira (08.10).
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Evandro Carlos

Mauro Mendes, seu plano era “iludir”? Que pena, o meu era te fazer feliz!!!

A música Milu, do cantor mineiro Gustavo Lima, é um dos grandes hits da musica nacional da atualidade, nela o interprete conta a historia de alguém que vive iludido, lembrando que quem cai uma vez, cai três, mas que ele...

 
 
 
 
Sitevip Internet