Notícias / Educação

26/09/19 às 11:42

Olimpíadas - Matemática inspira adolescentes em conflito com a lei a buscarem futuro melhor

Nara Assis / Sesp-MT

AguaBoaNews

Imprimir Enviar para um amigo
Olimpíadas - Matemática inspira adolescentes em conflito com a lei a buscarem futuro melhor

Foto: Christiano Antonucci / Secom-MT

Estimular e promover o estudo da matemática é o principal objetivo da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e é de fato o motivo que leva à maioria dos estudantes a se inscreverem. Mas, para dois jovens mato-grossenses o estímulo está em outros dois objetivos elencados no regulamento da prova: promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento e identificar jovens talentos e incentivar seu ingresso em universidades nas áreas científicas e tecnológicas.

B.A.O, de 18 anos de idade, e A.M.M, de 17 anos, estudam na Escola Estadual Meninos do Futuro e foram classificados para a segunda fase da OBMEP, que será realizada no próximo domingo (28.09). Privados de liberdade, mas não dos estudos, eles são internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) no Complexo Pomeri, em Cuiabá, e cumprem medida socioeducativa há cerca de um ano. Além deles, outros cinco adolescentes, que passaram pela unidade e já cumpriram medidas, também se classificaram para a segunda etapa da prova.

Com a maioridade recém-conquistada, B.A.O., que cursa o 1º ano do Ensino Médio, pensa no futuro que pode ter com a matemática.

“Eu me empenhei muito para conseguir este resultado e continuo estudando para a próxima prova, as aulas aqui são boas e o professor também”. O jovem conta com o apoio da família, que o visita toda semana. “Eles me incentivam e é muito importante para mim, quero ter um futuro melhor, penso em fazer Engenharia quando sair”, afirmou.

Já para A.M.M., que está no 9º ano do Ensino Fundamental, a matemática nunca fui a disciplina preferida. “Eu quis participar da prova porque é melhor para mim, estudar, ter um futuro bom lá na frente. Eu não gostava muito não, mas estou aprendendo a gostar mais”.

Ele contou que ficou surpreso e ao mesmo tempo animado com o resultado. “As aulas são boas, sinto que estou evoluindo, quero ter uma nova vida quando sair, continuar estudando, fazer uma faculdade e trabalhar, talvez ser empresário”. Também com o incentivo da família, ele está se dedicando ainda mais à matemática para conseguir um bom resultado na segunda fase da Olimpíada. “Vou pra cima”, garantiu.

O professor de matemática da Escola Estadual Meninos do Futuro, Ismael de Oliveira Alves, explicou que primeiro é feito um trabalho de preparação da base de ensino, pois muitos chegam com uma grande defasagem escolar.

“Alguns acabam saindo da escola justamente porque não conseguem acompanhar o ritmo, já chegam com esta dificuldade as vezes até mesmo pela vida que levavam lá fora, faltavam às aulas, largavam na metade do ano, enfim, é preciso um trabalho focado para convencê-los a não desistirem”.

Prática das teorias em maquetes

Todos seguem as regras da escola, conforme ressaltou o professor. “Eles respeitam bastante, respeitam a gente em sala de aula. Eles sabem a importância que tem o conteúdo que a gente aplica e a gente já vai preparando tanto no conteúdo quanto mentalmente para eles fazerem essas provas”.

Para a prova de domingo, Ismael de Oliveira focou a preparação em uma atividade prática. “Com o que eles já viram na parte teórica, que estrutura a parte de geometria de ângulos, de escalas, regras de três, volume, eles construíram maquetes de casas, colocando elementos que queriam. E tudo foi feito aplicando o conhecimento, calculando profundidade, a área, perímetro, etc.”.

Há 14 anos atuando como professor, ele frisou que além da preocupação com o conteúdo da disciplina, é preciso sempre estar atento ao valor que o estudo tem na vida destes jovens.

“Nós temos consciência em relação ao ensino, que pode mudar a vida deles, por isso nós tomamos muito cuidado para que eles saibam o que eles estão fazendo, que eles consigam fazer as atividades e este tipo de prova para verem que eles podem fazer aquilo, que são capazes”.

A Gerência de Acompanhamento ao Egresso do Sistema Socioeducativo entrou em contato com as duas meninas e os três meninos que também foram classificados e não estão mais na unidade, para que participem da segunda fase da avaliação. Em 2017, a unidade também teve cinco adolescentes aprovados.

“Acreditamos que a iniciativa é muito boa, todos eles querem muito estudar, e como apresentam alguma dificuldade de aprendizagem e aqui temos menos alunos em sala de aula, conseguimos detectar esta dificuldade mais rapidamente e focar nisso, então eles se empenham mais”, destacou a diretora da escola, Marli Goveia de Oliveira.

Os adolescentes dedicam quatro horas diárias às aulas com todas as disciplinas regulares, mas também participam de projetos de música, palestras, entre outras atividades extracurriculares. Atualmente, a Escola Estadual Meninos do Futuro possui 22 alunos da internação, 26 do provisório e 10 no feminino. O Complexo Pomeri está hoje com 56 adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa.

Os integrantes do Sistema Penitenciário de Mato Grosso também fizeram a prova da Olimpíada. De um total de 93, foram aprovados para a próxima fase 63 reeducandos que estão cursando do 6º ao 9ª ano do Ensino Fundamental e mais 30 do Ensino Médio.

As Olimpíadas de Matemática

A 15ª OBMEP é uma realização da Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), promovida com recursos oriundos do contrato de gestão firmado pelo IMPA com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e com o Ministério da Educação (MEC). É dirigida aos alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e aos alunos do Ensino Médio, de escolas públicas municipais, estaduais e federais, e escolas privadas, bem como aos respectivos professores, escolas e secretarias de educação, todos localizados no território brasileiro.

A primeira fase consistiu em uma prova objetiva, de caráter eliminatório composta por 20 questões de múltipla escolha, valendo um ponto cada, totalizando 20 pontos máximos. A segunda fase se caracteriza pela aplicação de prova discursiva, de caráter classificatório, composta de seis questões valendo até 20 pontos cada, totalizando 120 pontos.

Serão premiados alunos, professores, escolas e Secretarias Municipais de Educação pelos melhores desempenhos nesta edição. Será concedido entre os alunos participantes um total de 575 medalhas de ouro, 1.725 medalhas de prata, 5.175 medalhas de bronze e até 51.900 menções honrosas, de acordo com os critérios presentes no regulamento.

Todos os alunos medalhistas serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica (PIC Jr.) como incentivo e promoção do desenvolvimento acadêmico dos participantes. A divulgação dos premiados será feita no dia 03 de dezembro de 2019, no site http://www.obmep.org.br/.
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Evandro Carlos

Mauro Mendes, seu plano era “iludir”? Que pena, o meu era te fazer feliz!!!

A música Milu, do cantor mineiro Gustavo Lima, é um dos grandes hits da musica nacional da atualidade, nela o interprete conta a historia de alguém que vive iludido, lembrando que quem cai uma vez, cai três, mas que ele...

 
 
 
 
Sitevip Internet