Notícias / Política

05/07/15 às 23:09 / Atualizada: 05/07/15 às 23:18

Convenção mantém Aécio à frente do PSDB. Grupo de tucanos pede nova eleição para presidente da República

Veja

Imprimir Enviar para um amigo
Convenção mantém Aécio à frente do PSDB. Grupo de tucanos pede nova eleição para presidente da República

Convenção nacional do PSDB, com o presidente do partido senador Aecio Neves

Foto: (VEJA.com/Folhapress)

O senador Aécio Neves foi reconduzido à presidência nacional do PSDB neste domingo, em convenção, realizada em Brasília. O tucano recebeu 99,34% dos votos para cumprir mais um mandato de dois anos.

Em discurso, Aécio fez duras críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff, afirmando que o governo está promovendo um "arrocho". "O que temos em marcha é um ajuste sem reformas. E ajuste sem reformas não pode ter outro nome senão arrocho", disse. "Devido a seus erros crassos e frequentes, a presidente não governa mais. Ela vê, a cada dia, o seu poder se esvair. A presidente perdeu o controle da máquina administrativa e da agenda do Brasil."

A convenção escolheu ainda como vice-presidentes da comissão executiva nacional os senadores Aloysio Nunes Ferreira, Tasso Jereissati e Flexa Ribeiro, os deputados Giuseppe Vecci, Bruno Araújo, Mariana Carvalho de Moraes e Alberto Goldman. O presidente de honra do partido é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Outras lideranças do partido pregaram união dos tucanos, comentaram o momento político brasileiro e até defenderam uma postura mais dura contra o governo da presidente Dilma Rousseff.

O senador José Serra defendeu que o partido abrace a bandeira do "parlamentarismo", ideia defendida, por exemplo, pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "No parlamentarismo, quando o governo vai mal, ele é trocado, sem traumas", afirmou.

Serra comparou o governo petista com o do presidente João Goulart. "Infelizmente não é só uma crise econômica, é uma crise política, de valores. Esse é o mais fraco governo que eu tenho memória em toda a minha vida. O de Jango, em 1964, era de uma solidez granítica se comparado com o de Dilma", afirmou.

Já o líder tucano no Senado, Cassio Cunha Lima (PB), propôs que o partido defenda a realização de novas eleições para presidente da República, diante das revelações de envolvimento da campanha de reeleição de Dilma com o escândalo investigado pela Lava Jato. Ele fez ainda um apelo para que os tucanos participem das manifestações contra a presidente marcadas para o dia 16 de agosto.

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), seguiu na mesma linha. "A melhor coisa que poderia acontecer é o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassar o mandato da presidente e afastar este governo corrupto."

A aposta desses tucanos é que a presidente e o vice-presidente, Michel Temer (PMDB-SP), tenham seus diplomas eleitorais cassados no TSE, onde tramita uma ação do partido acusando o PT e a presidente de abuso de poder econômico na campanha eleitoral do ano passado.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também fez duras críticas ao PT durante discurso na convenção. O tucano afirmou que o partido da presidente Dilma Rousseff chegou ao "fundo do poço" e que o governo deixará como único legado o "petrolão". Disse ainda que o PT "contaminou" o Estado, como um "parasita", e agora, ao propor o ajuste fiscal, tenta "debelar a doença com os remédios errados", porque a conta vai ficar com os mais pobres.

Um dos nomes cotados para a disputa presidencial de 2018, Alckmin defendeu que o PSDB, por ser o maior partido de oposição, tem que questionar qual é seu papel diante da crise pela qual passa o país. "Cabe a nós a missão de não deixar carregar o Brasil junto com eles", disse.

Num ataque direto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o líder paulista afirmou que o "povo não é bobo" e que sabe que o petista também é responsável pela atual situação do país.
(Com Estadão Conteúdo)
Imprimir Enviar para um amigo

comentar  Nenhum comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Pessoas que estavam lá!

Alguns têm certeza. Outros não acreditam. A maioria suspeita de que possa existir, e outros tantos preferem não se questionar. Estou falando de vidas...

 
 
 
 
Sitevip Internet