Notícias / Nacional

11/09/19 às 13:26 / Atualizada: 11/09/19 às 17:59

Carteiros de MT aderem a paralisação nacional; 100 mil pacotes afetados por dia

Redação AguaBoaNews com Gazeta Digital

Imprimir Enviar para um amigo
Carteiros de MT aderem a paralisação nacional; 100 mil pacotes afetados por dia

Agência dos Corrêios de Água Boa

Foto: Arquivo AguaBoaNews greve de 2017

Os servidores dos Correios em Mato Grosso aderiram à greve nacional, que começou nesta quarta-feira (11). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect), a paralisação já atinge 70% da categoria na Grande Cuiabá. No Centro de Distribuição, em Várzea Grande, são encaminhados cerca de 100 mil pacotes – entre encomendas e correspondências – por dia e na unidade apenas os profissionais terceirizados estão trabalhando.
 
Além de Mato Grosso, a greve atinge os 26 estados e o Distrito Federal, porém, em algumas regiões o movimento atinge um maior número de trabalhadores. A principal reivindicação é a assinatura do acordo coletivo da categoria. Sem o documento, os servidores perdem direitos como vale-alimentação e a liberação dos dirigentes sindicais para o trabalho no sindicato.
 
“A empresa simplesmente tirou o acordo coletivo da pauta. Não assinou ou renovou. A maioria dos trabalhadores atua na área operacional, o que impacta muito a distribuição, porque a área administrativa não dá conta do volume. Apenas na Central de Várzea Grande, entre correspondências e encomendas, o volume chega a 100 mil volumes por dia. E é de lá que se distribui para todo o estado. Lá quase todos os concursados pararam”, afirma o dirigente do Sintect, Irineu Sampaio da Silva.
 
No estado, cerca de 1.400 servidores atuam nos Correios. O salário inicial é de R$ 1.600 e o vale-alimentação de R$ 1.600. “O vale é que complementa os salários, que são muito baixos. Além da defasagem no salário, faltam profissionais, porque o nosso último concurso foi em 2011”, explica o sindicalista.
 
Entre as reivindicações da categoria estão o reajuste salarial da inflação e prorrogação do acordo coletivo que venceu em 31 de julho. Outra questão que é rebatida pelos servidores é sobre a privatização dos Correios, que passa por estudos no BNDES.

comentar1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agua Boa News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agua Boa News poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Adelson Mansuelo Alves, em 12/09/19 às 07:48

    Passou da hora de privatizar

 
 

veja maisArtigos

Nilton Moreira

Estrada Iluminada - Heranças, negócios...

         É normal darmos importância ao que acontece no âmbito de nosso campo de visão, os chamados acontecimentos físicos para os quais normalmente estamos preparados para...

 

Enquete

Você votaria em Bolsonaro ou em Lula se as eleições fossem hoje?

 
 
 
Sitevip Internet